Servidores do HMIB e Hospital de Base reclamam falta de pagamento de Horas Extras de janeiro

193
Print Friendly, PDF & Email

“As unidades encaminharam a documentação para registro e pagamento das horas extras fora do prazo determinado”, afirma Secretaria de Saúde

Por Kleber Karpov

Servidores da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) lotados nos hospitais de Base do DF (HBDF) e Materno Infantil (HMIB) acionaram Política Distrital (PD) para reclamar a falta de pagamento das Horas Extras, em atraso desde janeiro.

Publicidade

PD acionou a SES-DF, para apurar o problema e a SES-DF confirmou a queixa dos servidores. Por meio da Assessoria de Comunicação a Pasta informou que “as unidades encaminharam a documentação para registro e pagamento das horas extras fora do prazo determinado. O servidor que não recebeu o crédito deve tirar as dúvidas no núcleo de pessoal de sua unidade de lotação.”.

Descaso e falta de gestão

PD conversou sobre a ‘perda de prazo’ por parte dos gestores que atuam no HMIB e no HBDF sobre o assunto com o vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), Jorge Vianna. O sindicalista afirmou que o caso apenas demonstra a falta de capacidade de gestão por parte do secretário de saúde, Humberto Lucena Pereira da Fonseca.

“Como tenho dito, esse é o retrato desse governo e desse secretário de Saúde, de total falta de capacidade de gestão porque as horas extras estavam atrasadas há cerca de seis meses e depois disso tudo, vem a secretaria falar que as unidades enviaram a documentação para registro das horas extras fora do prazo? Demonstra descaso e falta de gestão dos gestores que estão na ponta e da própria Subsecretaria de Gestão de Pessoal [SUGEP] que poderia ter cobrado dos hospitais.”, disse ao criticar o governo “E depois vem o senhor governador, vem o secretário atacar o servidor publicamente, atacar os sindicatos pela incompetência do Estado”, atirou.

HEs de Fevereiro

PD questionou ainda à SES-DF quando deve ser efetuado o pagamento das HEs de fevereiro, mas a Secretaria não se manifestou em relação ao questionamento.

Artigo anteriorGestão ‘mão de ferro’ pode ser um dos motivos do caos do Hospital da Ceilândia
Próximo artigoSenador Hélio José comemora sanção da Lei da MP 759 pelo presidente Michel Temer