Diabéticos enfrentam falta de seringa para insulina no DF há seis meses

159
Print Friendly, PDF & Email

Gasto mensal chega a R$ 105 para pacientes; não há previsão de chegada
Saúde diz que falta atinge estoque de 20 ml e não prejudica atendimento

Pacientes diabéticos do Gama, no Distrito Federal, estão há seis meses sem conseguir seringas de insulina na rede pública da região. A falta atinge todos os postos de saúde e tem impacto direto nos custos do tratamento. A Secretaria de Saúde diz que apenas um tamanho de seringa está em falta, e que outras podem ser usadas em substituição.

Pelo menos três pacientes passaram a comprar as seringas por conta própria, em uma tentativa de amenizar a falta do insumo. Cada caixa com dez unidades custa, em média, R$ 35. Para um mês, são necessárias três caixas, que impactam em R$ 105 nas despesas dos pacientes.

O eletricista Reginaldo da Silva afirma que tem tido dificuldades para encontrar as seringas na rede pública. “A insulina sempre foi fornecida para gente, nunca esteve em falta. Mas ela, sem a seringa, fica difícil de funcionar”, diz.

O motorista Renildo de Jesus compra o equipamento para não interromper o tratamento, mas diz que não é o mais adequado. “Eu tomo 40 mL em uma dose e a seringa só chega a 30 mL. Então eu tenho que aplicar duas vezes, primeiro 30 e depois 10.”

Apesar das reclamações, a Secretaria de Saúde diz que apenas a seringa de 20 ml está em falta. Em ligações feitas a centros de saúde nesta terça-feira (5), a reportagem da TV Globo ouviu de atendentes que nenhuma seringa estava disponível e que a escassez atingia outras regiões além do Gama.

Fonte: G1