Médicos se recusam a trabalhar no Hospital de Planaltina, diz Secretaria de Saúde

173


Print Friendly, PDF & Email

Demora no atendimento atinge todas as especialidades oferecidas na unidade de saúde

Por Renato Souza

Quem procurou o Hospital Regional de Planaltina (HRPL) no domingo (19) precisou esperar mais de 5 horas para ser atendido. Na maioria das especialidades, apenas um médico atendia os pacientes da cidade que tem mais de 200 mil habitantes. Muitas pessoas que foram até a unidade de saúde durante o dia precisaram esperar até a noite para serem chamados. Segundo a Secretaria de Saúde, isso ocorre por que os médicos se recusam a trabalhar no hospital da cidade.

O morador Cícero Diego, de 31 anos, procurou a unidade de saúde com sintomas de dengue e passou a noite esperando atendimento. “Eu estou com febre, dor de cabeça, alergia na pele e estou esperando aqui já faz mais de cinco horas. Depois das 10 da noite nem triagem fazem mais. Essa história de ficha verde, amarela, não funciona”, afirma o paciente. No quadro de médicos, o painel informava que dois profissionais estavam de plantão. Mas a equipe do hospital informou que apenas um plantonista atendia aos pacientes que procuravam a especialidade de clínica médica.

O morador Gilson Silva, de 27 anos, procurou a ortopedia com dores no pescoço e precisou ficar horas no corredor da emergência, local sem conforto que prejudicou ainda mais seu problema. “Eu cheguei lá e me mandaram esperar. Eu passei pela triagem e fiquei três horas esperando até entrar no consultório do médico. Ele passou uma medicação, mas depois de duas horas esperando na fila para ser medicado eu desisti e fui pra casa. Tive que comprar o remédio em uma farmácia e tomar em casa mesmo. A doutora Deborah Paulino, que atendia na ortopedia, estava chamando os pacientes da maneira mais rápida que podia. Mesmo com a lotação atendia os pacientes de uma forma educada e simpática. Mas vi crianças que estavam precisando de atendimento serem enviadas para outros hospitais por que estava sem médico na pediatria”, ressalta o paciente.

Publicidade

Sem médicos

Em nota ao Conecta Notícias, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal afirmou que dois médicos atenderam no plantão noturno (19h às 07h) de domingo, tanto aos pacientes internados, quanto aos pacientes que chegavam no Hospital de Planaltina. Segundo a pasta, o atendimento prioriza os casos graves, o que pode causar lentidão no chamado aos casos verdes e amarelos, que são menos urgentes. Na pediatria, segundo a Secretaria, havia uma médica na escala e não houve atendimento para os casos que não fossem de maior urgência, uma vez que uma criança estava internada na semi-intensiva em estado gravíssimo e precisou de cuidados médicos.

Na nota, a Secretaria de Saúde afirma que este semestre, fez diversas nomeações e destinou cinco pediatras para serem lotados no HRPL, porém nenhum deles aceitou trabalhar no local devido, principalmente, à distância.

Neste mês, a secretaria fez um novo chamamento de 10 pediatras, que haviam pedido final de fila em nomeação anterior. Eles ainda estão no prazo para apresentar a documentação para a posse. Após apresentação, eles serão lotados. Existe a previsão de lotar parte desses profissionais no HRPL. A cidade de Planaltina fica a 40 quilômetros do Plano Piloto, distância parecida com a cidade do Gama e menor que a existente entre Brazlândia e o centro de Brasília.

Fonte: Conecta Notícias