Vírus influenza: MPDFT recomenda vacinação nas entidades de acolhimento institucional

71
Print Friendly, PDF & Email

DF está em estado de alerta e vacinar é o melhor meio de prevenir epidemias

As Promotorias de Justiça de Defesa da Infância e da Juventude recomendaram que a Secretaria de Saúde do Distrito Federal disponibilize vacina contra os vírus influenza, cepas de 2016 – H1N1, H3N2 e influenza B –, às crianças e aos adolescentes, entre 5 e 18 anos, abrigados nas entidades de acolhimento institucional. A campanha de vacinação já foi iniciada no DF, porém não incluiu esse grupo.

Segundo os promotores de Justiça, as pessoas que vivem em ambientes aglomerados também estão expostas ao risco de serem infectadas pelo vírus influenza. “Nas entidades de acolhimento, crianças e adolescentes vivem em coletividade, dormindo em quartos conjuntos. Muitas chegam ao local em estado de desnutrição e com problemas de saúde física e emocional, o que agrava a vulnerabilidade às doenças sazonais e amplia a transmissão dos vírus entre os residentes nas instituições”, explicam os promotores de Justiça que assinam o documento.

De acordo com a recomendação, de janeiro a maio, no Distrito Federal, foram registradas nove mortes ocasionadas por gripe influenza, causada pelo vírus H1N1, 117 casos foram confirmados e 357 estão sendo investigados. “A prevenção de epidemias pela vacinação é o meio que melhor atende aos interesses da população e da administração pública, em razão de sua eficiência e economicidade, prevenindo complicações, hospitalizações e mortes”, defendem os promotores de Justiça. Clique aqui para ler a recomendação.

Cepas de 2016 

Anualmente, a combinação das vacinas é atualizada para garantir a proteção contra os tipos de cepas da gripe que estão em circulação no mundo. A atualização cumpre determinação da Organização Mundial da Saúde. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é a entidade responsável para orientar a composição das vacinas no Brasil.

De acordo com a resolução da Anvisa, as vacinas influenza trivalentes, em 2016, devem conter, obrigatoriamente, três tipos de cepas de vírus e deverão estar dentro dessas especificações: um vírus similar ao vírus influenza A/California/7/2009 (H1N1) pdm09, um vírus similar ao vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2) e um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008.

Fonte: MPDFT