Servidores lotados em UPAs poderão solicitar movimentação

68


Print Friendly, PDF & Email

Benefício marca o início do processo de dimensionamento, que valoriza o profissional e aumenta a assistência à população

Por Alline Martins

Servidores lotados nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Distrito Federal estão convidados a participar de um processo de movimentação para os demais serviços existentes na mesma região de saúde. A partir desse convite, o profissional poderá avaliar possíveis vantagens na movimentação, como trabalhar mais próximo de casa ou da escola de seu filho.

Esse benefício representa o início do processo de redistribuição de colaboradores da pasta, de acordo com os resultados apresentados pelo estudo de dimensionamento da rede, iniciado em 2014, e com previsão de conclusão para o final deste ano. Para o usuário, o dimensionamento visa tornar mais eficiente o atendimento na rede saúde.

“Detectamos que algumas UPAs estão com número de servidores excedentes em muitas áreas, enquanto outras unidades estão com déficit. Esperamos que eles se empenhem para fazer essa troca, somando-se a nós na ideia de oferecer o melhor atendimento para a população”, explicou a subsecretária de Gestão de Pessoas, Jaqueline Ribeiro.

Publicidade

O dimensionamento da rede pretende distribuir, de forma equilibrada e com parâmetros técnicos, os 32 mil servidores da Secretaria de Saúde. O trabalho está sendo feito com base no Manual de Parâmetros para Dimensionamento da Força de Trabalho da Secretaria de Saúde, publicado no Diário Oficial do DF em maio deste ano. O documento ganhou o prêmio InovaSus, do Ministério da Saúde, em 2014, na categoria Gestão do Trabalho na Saúde. Antes do seu início, o processo de dimensionamento foi amplamente discutido com os sindicatos ligados à Saúde.

Panomrama

O objetivo da Secretaria de Saúde é completar o dimensionamento em toda a rede até o final do ano. Isso, porém, será feito de forma paulatina. Até o momento, a secretaria possui dados compilados das UPAs, do Hospital Regional da Asa Norte e dos centros de saúde desta mesma região administrativa, bem como do Hospital Regional de Santa Maria e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Os técnicos da pasta trabalham, agora, para finalizar os estudos relativos ao Hospital de Base e às unidades de saúde de Brazlândia.

“Posteriormente, vamos para Ceilândia e Gama, fechando as regiões de saúde Centro-Norte, Sul e Oeste. Até o fim deste ano, teremos finalizado tudo”, destacou a diretora de Planejamento, Monitoramento e Avaliação do Trabalho da Saúde, Marineusa Bueno.

Segundo a diretora, com esse estudo, será possível ter o panorama geral dos recursos humanos da secretaria. “Poderemos saber restrições, se há desvios de função, se as horas extras que estão sendo feitas são suficientes ou não, se há profissionais demais trabalhando em um local enquanto em outros há falta”, detalhou Marineusa.

Atuação

O dimensionamento da rede de saúde tem o objetivo de oferecer mais mão de obra nas unidades de saúde, ofertar a oportunidade de movimentação aos servidores, para que trabalhem próximos de casa ou da escola dos filhos, por exemplo, e faz parte de uma mudança na atuação da Secretaria de Saúde para valorizar a sua força de trabalho, que impactará diretamente no aumento da qualidade do atendimento ao cidadão.

Para colocar em prática esta nova fase na pasta, a partir desta segunda-feira (30), servidores das Unidades de Pronto Atendimento começam a ser informados, por meio de uma circular e canais de comunicação interna, sobre a possibilidade do pedido de movimentação para os demais serviços de saúde que compõe a mesma superintendência em que a UPA está localizada.