Presidente do Sindicato dos Médicos do DF se filia ao PPL, amanhã (17)

257


Print Friendly, PDF & Email
Por Kleber Karpov

Após se desfiliar do Partido Socialista Brasileiro (PSB), o presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SindMédico), Gutemberg Fialho, deve efetivar filiação junto ao Partido da Pátria Livre (PPL). A cerimônia está prevista para a manhã, de quinta-feira (17/Mar), às 10 horas,  na sede da Associação Médica de Brasília (AMBr). Nas eleições de 2014, o Sindicalista obteve quase 8.858 votos e ficou com a segunda suplência pelo PSB, mesmo partido do governador do DF, Rodrigo Rollemberg.

Fialho foi o principal apoiador de Rollemberg junto à classe médica do DF. Porém, sob argumento da crise financeira do DF, após Rollemberg declarar que não efetuaria o pagamento da incorporação da Gratificação de Atividade Médica (GAM), a relação com a cúpula do PSB  começou a estremecer.

Isso porque Fialho integrou o Movimento em Defesa do Funcionalismo Público do DF, composto por 17 entidades sindicais, com representação de mais de 100 mil servidores do GDF. Isso foi considerado uma afronta por parte de Rollemberg, sobretudo após vazar trecho de um vídeo em que, supostamente, o Sindicalista incitou os médicos a travar o governo Rollemberg.

Publicidade

O evento culminou em representação por parte de membro do PSB junto ao Conselho de Ética e Fidelidade Partidária contra Fialho, sob acusação de não submeter as decisões do SindMédico aos desígnios do partido. Na ocasião o Sindicalista se defendeu, entrou com representação contra Rollemberg junto ao PSB, por descumprir várias diretrizes do Estatuto da daquela agremiação partidária e, posteriormente, se desligou do Partido (7/Mar).

Identidade

Apesar de ter recebido convites para ingressar em outros partidos, a exemplo de PMDB, do PSDB, do PTdoB e PMB, ao Política Distrital, Fialho afirmou que encontrou no PPL ambiente que vai de encontro aos que valores defende. “O PPL defende o funcionalismo público, defende os direitos dos trabalhadores é contra as terceirizações, enfim, ele vai de encontro aos princípios que eu pessoalmente defendo.”, afirmou.

Contra OSs

No PPL Fialho  deve ocupar uma vice-presidência do Partido onde pretende consolidar apoio para defender os servidores públicos e se opor à adoção do modelo de gestão da Saúde por meio de organizações sociais e OSCIPS. Para o Sindicalista o governo usa de eufemismo com o propósito de terceirizar os serviços de saúde.

Janela Partidária

Fialho entra para o PPL, durante a abertura da janela, por força da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), promulgada em 18 de janeiro, no Congresso Nacional. Com isso, o sindicalista mantém condição de suplente para um mandato, em uma eventual vacância na CLDF, dentro da Coligação estabelecida durante as eleições de 2014.