PMDF: ‘Profissão Perigo’ em dose dupla

Duas viaturas, dois acidentes, por sorte, nenhuma vítima grave.

Por Kleber Karpov

A vida de Policial Militar em qualquer lugar do país é de alta periculosidade. Isso por se tratar de uma profissão, onde o profissional segurança pública, por mais preparado que seja, ao sair de casa, aumenta exponencialmente, o risco de não voltar, dado a natureza do trabalho. Mas ser Policial Militar no DF, está virando um risco em dose dupla.

Na quinta-feira (11/Fev), dois acidentes poderiam se transformar em mais estatísticas de fatalidades dentro das corporações da PMDF, devido ao sucateamento das viaturas policiais. Política Distrital recebeu denúncias dos dois casos, por meio de um PM, que pede para não ser identificado.

Publicidade

O primeiro caso ocorreu com viatura do 11º Batalhão da PM, de Samambaia, em que um policial foi lançado para fora do veículo após a porta da viatura se abrir, por apresentar falha na trava. O Militar do Grupamento Tático Operacional da PM, que não foi identificado, foi levado para o hospital com escoriações leves. Isso porque o veículo estava trafegando em baixa velocidade.

O segundo caso ocorreu com militares do 4º Batalhão, de Guará. Em ocasião que os policiais estavam retornando para  a base, outra viatura, há cerca de 30 quilômetros por hora, soltou a roda. Devido a baixa velocidade, nenhum policial se feriu.

Sucateamento

Na sexta-feira (5/Fev), o Cabo Renato Fernandes da Silva, morreu após a viatura capotar e colidir contra um poste na BR-070, próximo a Águas Lindas de Goiás (GO).  E no dia anterior (5/Fev), duas outras viaturas capotaram, em uma mesma ocorrência, durante uma perseguição a um veículo roubado, no Setor de Autarquias Sul, bairro de Brasília, felizmente, sem vítimas fatais.

Compra de viaturas novas

Na quarta-feira (10/Fev) o Alto Comando da PMDF definiu comissão que deve embarcar para Michigan (EUA), para estudar uma possível compra de novos carros para a corporação.

A justificativa para ir tão longe? Segundo o Comando, Michigan abriga um complexo policial com pistas de corrida que são utilizadas para test-drive dos carros.

Enquanto isso…

Até que novas viaturas estejam disponíveis, aos PMs que arriscam a vida todos os dias, em perseguições em alta velocidades, para tentar deter a marginalidade que assola o DF talvez devessem ressuscitar um antigo hit de Roberto Carlos: “Meu Cadillac, bi-bi. Quero consertar meu Cadillac. Bi Bidhu! Bidhubidhu Bidubi!…”.

 Acompanhe atualização ao longo do dia

Artigo anteriorEm artigo, Serra diz que Saúde piorou com o PT
Próximo artigoMédicos e enfermeiros estão sob investigação de assédio sexual e fraude