HUB inaugura hemodinâmica e amplia capacidade de atendimento

258
Print Friendly, PDF & Email

Único hospital público do DF a fazer cintilografia miocárdica, HUB pode atender até um terço de pacientes infartados de Brasília

Um terço de pacientes infartados do Distrito Federal agora podem ser atendidos no Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), com a inauguração do Laboratório de Hemodinâmica, equipamentos novos, modernização de processos, incorporação de recursos humanos e ampliação da capacidade de atendimento.

Nos últimos dois anos, a instituição criou novas áreas na Unidade Cardiovascular e ampliou o número e a quantidade de exames e procedimentos ofertados, com aumento da capacidade diagnóstica e terapêutica. As melhorias são resultado de investimentos recebidos após contrato de gestão com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Publicidade

Um dos grandes avanços na área, o Laboratório de Hemodinâmica será inaugurado oficialmente nesta sexta-feira (8). A unidade funciona parcialmente há aproximadamente um ano. Nesse período, houve a realização de 144 exames, mas a capacidade é de fazer em torno de 200 procedimentos ao mês, metade só de cateterismo cardíaco.

A cerimônia de inauguração será na Unidade 1, às 8h30, e terá a participação de autoridades da Ebserh, da Universidade de Brasília (UnB), da Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) e de outras entidades representativas.

Estrutura ampliada e qualificada
Outros novos serviços do hospital na área de cardiologia são a Unidade de Terapia Intensiva Coronariana, com dez leitos, e a emergência cardiológica referenciada. O HUB passou a ofertar mais exames e procedimentos cardiológicos, a exemplo da ergoespirometria, ergometria, holter, MAPA, cintilografia miocárdica, ecocardiografia, eletrocardiografia, estudo eletrofisiológico, avaliação do sistema nervoso autônomo, entre outros. O hospital também passou a realizar cirurgia cardíaca e diagnóstico e tratamento de arritmias.

A equipe médica da Unidade Cardiovascular saltou de três, há três anos, para vinte, em 2016. Com mais médicos, profissionais de saúde, novos serviços e espaços reformados, o HUB depende da assinatura de novo contrato com a Secretaria de Saúde do DF para custeio dos insumos necessários à oferta dessa assistência à população.

Considerando apenas a região Leste da cidade, o HUB poderia oferecer 4,5 mil consultas ambulatoriais em cardiologia e 1,8 mil exames de ecocardiograma e doppler de carótidas por ano. “A estrutura do HUB em cardiologia é uma das mais completas da rede pública e está disponível para oferecer atendimento cardiológico de excelência em Brasília”, afirma o superintendente do HUB, Hervaldo Sampaio Carvalho.

A Unidade Cardiovascular ainda conta com consultas ambulatoriais, cardiologia pediátrica, cirurgias cardiovasculares, reabilitação cardiorrespiratória e realização de aproximadamente 40 tipos de procedimentos e exames na área. Além da assistência, o hospital destaca-se nas áreas de ensino e pesquisa.

“O HUB é o único hospital público do DF completamente estruturado para atender a população nessa especialidade”, avalia o chefe da Unidade Cardiovascular, Daniel França Vasconcelos. Ele ressalta ainda o diferencial do atendimento, que é multiprofissional. “Os pacientes cardiopatas contam com terapia ocupacional, enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, odontologia, farmácia, serviço social e psicologia”, cita.

Laboratório de Hemodinâmica
O novo serviço do hospital realiza procedimentos por punção arterial ou venosa, com a inserção de cateteres, para diagnóstico e tratamento de patologias cardíacas, vasculares, neurológicas, renais, uterinas, entre outras. Entre os procedimentos realizados, estão angioplastia, cateterismo, estudo eletrofisiológico e implante de marcapassos e ressincronizadores.

O espaço físico é novo e conta com uma sala de procedimentos e outra de comando, local para preparo e recuperação com capacidade para três pacientes, um posto de enfermagem, um vestiário para paciente, um banheiro/vestiário para colaborador, uma sala de aula/reunião, duas recepções, uma sala de guarda de materiais e outra para limpeza deles e um depósito para acessórios de limpeza do ambiente.

A equipe é formada por 21 profissionais e abrange quatro médicos cardiologistas hemodinamicistas, dois eletrofisiologistas, dois endovasculares, um neurointervencionista e três cirurgiões cardíacos, além de duas enfermeiras cardiologistas, uma enfermeira cardio-hemodinamicista e seis técnicos de enfermagem.

Com a hemodinâmica, a instituição também tem contribuído para atender os pacientes do Hospital de Base que precisam de exames na área. Por meio de parceria entre as instituições, de setembro a dezembro do ano passado, o HUB fez 30 implantes de marcapassos em pacientes encaminhados pelo Base.

Cintilografia miocárdica
Único hospital público do DF a realizar a cintilografia miocárdica, o HUB quadruplicou o número de exames realizados do início de 2015 para o final do ano passado, passando de 80 para aproximadamente 400. A cintilografia miocárdica, realizada em duas etapas, avalia o fluxo sanguíneo e ajuda a diagnosticar doenças cardíacas, como o infarto.

A cozinheira Clélia Maria da Trindade fez a primeira fase do exame na última terça-feira (5), na Unidade de Medicina Nuclear do HUB. “Estou muito satisfeita com o atendimento. Os profissionais são atenciosos e cuidadosos. Graças a Deus podemos contar com esse exame aqui no HUB, pois dependo dele para saber qual será meu tratamento e seguir em frente com a vida”, conta a paciente.

Fonte: Ebserh

Artigo anteriorPreço do combustível no DF caiu, mas para cima
Próximo artigoConfirmados dois casos de zika vírus no DF