Rollemberg faz um gol de placa

30
Print Friendly, PDF & Email
Por Francisco Lima Jr.

Poucos entenderam, de fato, as cenas produzidas ontem (28), com a reunião promovida em Brasília pelo governador Rodrigo Rollemberg com dez governadores e um vice.

Vale iniciar destacando que foi um evento multipartidário, em que governadores de todos os partidos compareceram. Após longa reunião em Águas Claras, capitaneada por Rollemberg, e a produção de um documento em comum acordo, todos bateram, conjuntamente, à porta do ministro Nelson Barbosa.

Segundo consta, não levaram apenas os problemas de seus estados, destaque para a falência da saúde pública em todos eles e da falta de recursos para as outras demandas, mas apresentaram ao ministro as diversas alternativas para solucionar os problemas que afligem todos os estados e, também, a União.

Ninguém declarou publicamente, nem haveria necessidade, mas a principal alternativa ou fonte de receita para todos os males deverá ser a aprovação pelo Congresso da CPMF (Contribuição Provisória por Movimentação Financeira). Na economia não existem mágica e nem milagres. A CPMF é a única e viável saída no momento!

Publicidade

Talvez sem esta pretensão, Rollemberg, ao promover tais encontros convencendo seus colegas dos mais variados partidos dessas realidades, tenha concretizado algo que o mundo político anuncia e não é de hoje e ainda não teve a grandeza de fazê-lo: um pacto federativo.

Pegando apenas a saúde pública como exemplo, as mazelas e complicações de toda ordem mostradas ultimamente no estado do Rio de Janeiro e no Distrito Federal, refletem uma triste realidade em todas as demais unidades da Federação.

Com o seu governo diariamente boicotado na esfera federal, Rollemberg, ao trazer para Brasília, dentre outros, o governador do estado de Pernambuco, Paulo Câmara, do mesmo PSB que o seu, reafirmou diante do governo federal que o comando da legenda ainda reside na terra de Eduardo Campos, e que o espírito de companheirismo e a coragem para enfrentar problemas em parcerias com quem possa de fato somar, continuam vivos em seu partido.

Para um bom entendedor o recado foi o seguinte: Dilma e o seu governo poderão continuar contando com o apoio de Rollemberg e do seu PSB sempre que o país precisar.

Até o governador de São Paulo pelo PSDB, Geraldo Alckmin, terá que fazer e fará tudo ao seu alcance para convencer a sua bancada a aprovar a CPMF. Duvidam?

Ou seja, além de concretizar um verdadeiro pacto federativo, Rollemberg fez por Dilma e pelo seu governo o que nem o PT seria capaz de fazer, como demonstra diariamente. Nada de bolada nas costas, esse sim, foi um gol de placa!

Francisco Lima Jr.(48), Jornalista, Cientista Político pela UnB,
Professor de Jornalismo nas Faculdades Icesp/DF,
titular do
 www.blogdoprofessorchico.com.br,
blogueiro colaborador na Agência Política Real,
Colaborador no Programa Diário Brasil, na TV Gênesis e
Presidente da Associação Brasiliense dos Blogueiros de Política (ABBP).

fpaulalj@gmail.com