Em tempos de zika: Verba do GDF para prevenção, controle e vigilância epidemiológica cai 83% em relação a 2014

26


Print Friendly, PDF & Email
Por Thiago Alves

Em tempos de crises epidêmicas como a dengue, zika vírus e a febre chikungunya, foi quando o GDF teve o pior investimento em ações de vigilância para a prevenção e controle de doenças epidemiológicas no Distrito Federal. De acordo com dados levantados pelo deputado Chico Leite (Rede) durante o ano de 2015, o governo autorizou mais de R$ 2 milhões para as ações, entretanto, apenas R$ 95 mil foram empenhados e R$ 37 mil foram realmente gastos.

Uma queda no investimento de 83% se compararmos ao ano anterior quando o valor liquidado passou dos R$ 2 milhões. “Mais uma vez o GDF tem deixado de investir recursos em ações de extrema necessidade. É preciso manter em pleno funcionamento as campanhas de combate a doenças epidêmicas como a dengue por exemplo. A população precisa estar amparada e saber que existem recursos para o combate a essas crises”, ressalta Chico Leite.

Os dados retirados do Sistema de Gestão Governamental do GDF (SIGGO) mostram que um cenário diferente foi vivido em 2014, quando o valor autorizado passou dos R$ 4 milhões, sendo R$ 3,4 milhões empenhados e R$ 2,1 milhões liquidados.

O estudo mostra também que, em 2011, o orçamento liquidado foi de R$ 430 mil, subindo para R$ 1 milhão em 2012 e passando para mais de R$ 14 milhões liquidados em 2013, quando o orçamento autorizado passou dos R$ 18 milhões.

Publicidade

Fonte: Blog do Callado