Senador Álvaro Dias ganha mais um motivo para desconfiar de prêmio da Mega-Sena

783


Print Friendly, PDF & Email

Ex-deputado estadual de Espírito Santo que perdeu mandato é um dos proprietários de agência de onde saiu ganhador de R$ 205 milhões?

Por Kleber Karpov

acumulou ganhadorO senador Álvaro Dias (PSDB-PR) que cobrou explicações da Caixa Econômica Federal (CEF) sobre uma suposta confusão ocorrida no sorteio do concurso 1764 da Mega-Sena, realizado em 25 de novembro, na cidade de Candido Mota (SP) ganha mais um elemento suspeito.

Em relação ao concurso 1764, Dias questionou a divulgação de dois resultados do mesmo jogo. Isso porque a CEF divulgou inicialmente que não houve acertador das seis dezenas sorteadas e que o prêmio havia acumulado, pela décima vez seguida, porém algum tempo depois foi anunciado um único ganhador de Brasília (DF).

O Senador divulgou nota em que disse que “cobrará explicações formais e imediatas” da CEF e afirmou que o “desencontro de informações alimenta especulações de irregularidades, que devem ser passadas a limpo urgentemente”.

Mais lenha na fogueira

Publicidade
Lotérica Wands
Lotérica Wands

Mas chamou atenção um vídeo que está circulando nas redes sociais, publicado por “Mobilização Patriota” que faz uma observação no mínimo curiosa. Uma matéria do jornal Correio Braziliense, aponta a lotérica de onde saiu o prêmio, situada na QI 25 do Lago Sul, bairro nobre do DF, tem no quadro societário, o ex-deputado estadual pelo PMDB de Vitória (ES), Nasser Youssef Nasr, fazendo alusão a possível relação com Alberto Yousseff. A constatação pode ser realizada por meio do CNPJ da empresa Wands loterias Ltda-ME, no site da Receita Federal.

Youssef Nasr atrai sortudos?

xingu
Lotérica Corujinha

E fica mais intrigante no relato na mesma matéria de Correio Braziliense, em que é colocado outro prêmio milionário da Mega Sena, onde um sortudo dividiu um prêmio, em 2012, com outro jogador de Estrela do Norte (SP). De acordo com a matéria, “um dos vencedores da Mega-Sena fez a aposta na Lotérica da Corujinha, no Lago Sul, e dividiu o prêmio de R$ R$ 14.192.091,41 com mais um apostador, de Estrela do Norte (SP).”.

Isso porque ao consultar o CNPJ da Casa Lotérica Corujinha, nome fantasia da empresa Xingu Loterias Ltda-ME, na Receita Federal, também é possível constatar que o proprietário da Empresa é Youssef Nasr.

Pano para manga de Álvaro Dias

A mudança de resultados em relação ao sorteio da Mega Sena por parte da Caixa Econômica Federal e o novo elemento, voltado à propriedade da unidade de onde saiu o único ganhador dos R$ 205 milhões, colocam mais lenhas na fogueira do senador Álvaro Dias, que é autor de Projeto de Lei voltado a inibir práticas de lavagem de dinheiro, manipulações de resultados e fraudes envolvendo os sorteios da CEF em prêmios de lotéricas.

 

 Confira o vídeo:

ERRAMOS

Ao apurar a notícia, Política Distrital cometeu um erro. Isso porque o nome do proprietário das casas lotéricas ser homônimo a outro personagem, velho conhecido da Justiça, o ex-deputado estadual pelo PMDB de Vitória (ES), Nasser Youssef Nasr, condenado, em 2012, por improbidade administrativa, que perdeu os direitos políticos por oito anos, após sentença da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual do Tribunal de Justiça do Espirito Santo, por força de ação movida pelo Ministério Público Estadual por desvio cerca de R$ 26 milhões em recursos públicos entre 1998 e 2006 dos cofres da Assembleia Legislativa. Os crimes que ficaram conhecidos por chamado “esquema das associações”, ocorriam meio de simulações de pagamentos à associações de moradores, centros comunitários, escolas, federações, igrejas, paróquias, sindicatos, fundos e obras de assistência social. Além dos direitos políticos, o ex-deputado, juntamente com outros agentes políticos, funcionários da Assembleia Legislativa de ES e empresários devem devolver mais de R$ 3,7 milhões, além do pagamento de R$ 200 mil de multa, corrigidos monetariamente, a partir da publicação da sentença.

O erro alertado pelo jornalista Michel Aleixo e constatado por este articulista após obter dados e confrontar os CPFs de ambos de modo a constatar que se tratam de pessoas homônimas visto que os documentos de identificação são diferentes. Nesse sentido, embora o caso não deixe de ser intrigante, Política Distrital, faz a devida retificação da matéria de modo a não induzir os leitores à continuidade do erro e se desculpa com o proprietário das casas lotéricas, Nasser Youssef Nasr.

Atualização 29/112015 às 4h43