CLDF: Comissões ouvem professores agredidos e investigam episódio

Print Friendly, PDF & Email

Depois de serem recebidos com flores brancas pelos deputados distritais, um grupo de professores foi ouvido em reunião conjunta das comissões de Educação e de Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Os presidentes das duas comissões, deputados Prof. Reginaldo Veras (PDT) e Ricardo Vale (PT), conduziram a reunião no plenário da Câmara e ouviram os depoimentos de professores que foram agredidos ontem por policiais do Bope da PM.

Os professores informaram que foram vítimas de “truculência, abuso e violência” por parte dos policiais. O professor Gabriel, um dos envolvidos no episódio de ontem, cobrou punição para os excessos cometidos pelos policiais do Bope. “Nossa arma não é a bala, não é a violência, mas a luta democrática e a solidariedade dos demais trabalhadores do DF”, disse.

O diretor do Sindicato dos Professores (Sinpro), Washington Dourado, adiantou que o departamento jurídico do sindicato vai entregar para as comissões todos os documentos relativos ao caso, como cópias de ocorrências policiais e laudos periciais. Aos gritos de “fora Rollemberg”, os professores ouviram os depoimentos dos colegas agredidos e as manifestações de solidariedade dos deputados distritais.

Publicidade

O deputado Prof. Isravel (PV) disse que não há nada que justifique a violência praticada contra os professores. “Nunca imaginei que iria ver professor algemado e agredido na capital do País. Isto é inaceitável”, lamentou. Já o deputado Chico Vigilante (PT) destacou que algemar um trabalhador que manifesta por seus direitos é uma violência “que dói na alma”. Vigilante defendeu que não se vote nada na Casa do GDF até que o problema com os servidores seja resolvido. Para ele, a luta agora é pela “dignidade”.

O deputado Ricardo Vale explicou que vem conversando com outros distritais e disse que o sentimento é de indignação com a ação do governo e de solidariedade com os professores. “O episódio de ontem não vai ficar impune. A Comissão de Direitos Humanos vai investigar até descobrir de quem foi a ordem para agredir os professores”, garantiu Vale.

Na opinião do deputado Prof. Reginaldo Veras está claro que houve uso excessivo de violência e truculência pelos policiais. Para o distrital, como a PM está vinculada hierarquicamente ao governador, ele é o responsável pela ação de ontem.

Fonte: CLDF

Artigo anteriorProfessores são recebidos na CLDF com rosas brancas
Próximo artigoParlamentares da Bancada Federal do DF cobram apuração de violência contra professores