SES-DF: Profissionais de Enfermagem definem em assembleia, amanhã (31), se continuarão a fazer Horas-Extras

Print Friendly, PDF & Email

Secretários apelam para o bom-senso de servidores para atravessarem esse “momento delicado” por causa da falta de recursos no GDF.

Com mais de 15 dias de atraso do pagamento das Horas-Extras (HEs) de maio, o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF) realizará na manhã de segunda-feira (31/Ago), Assembleia Geral Extraordinária com os servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), além de auxiliares e técnicos em enfermagem, para definir se continuam ou não a realizar HEs nas unidades da Secretaria de Estado de Saúde do DF. O ato será realizado às 9h em frente à emergência do Hospital de Base do DF (HBDF).

Horas_ExtrasAlém da assembleia no HBDF, duas outras manifestações devem acontecer nos hospitais regionais de Samambaia (HRSam) e de Sobradinho (HRS).  Para o vice-presidente do Sindate-DF, Jorge Vianna: “Os servidores estão se organizando por conta própria. O Sindicato sugeriu aos servidores que devolvessem as horas-extras ao banco de horas, mas infelizmente, esse atraso mexeu no bolso dos servidores e eles estão muito chateados e querem parar com os atendimentos. Nós estamos orientando a esses servidores que venham para a assembleia no Hospital de Base.”, explicou Vianna.

Publicidade

O Sindicalista explicou ainda que a decisão firmada pelos profissionais de enfermagem, caso definam por não fazerem mais horas-extras, atendimento desses servidores em unidades a exemplo do SAMU, de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), procedimentos cirúrgicos, entre outras áreas, podem ter o funcionamento comprometido.

Política Distrital conversou com o secretário de Estado de Saúde, Fábio Gondim, que reconheceu o direito ao pagamento das HEs uma vez que houve a prestação de serviço e explica que já encaminhou a solicitação de pagamento à Secretaria de Estado de Fazenda (SEFAZ). De acordo com o Secretário: “O valor é devido, nós sabemos que o atraso traz transtornos para os servidores e estamos conversando com a Fazenda (SEFAZ) para ver a viabilidade de se fazer, o quanto antes, o pagamento das horas-extras trabalhadas.”, disse ao observar que só não indicaria uma data precisa para não correr o risco de ter algum contratempo e se indispor com os servidores.

A união pode fazer a diferença

Gondim lembrou ainda que no DF, em especial a Saúde vive um momento delicado, e pede a compreensão dos servidores para tentar atravessar passar por essa fase difícil. Segundo Gondim: “Infelizmente esse é um momento muito delicado. Estou apenas há 30 dias a frente da Secretaria [SES-DF] e estamos tentando enxugar os gastos para minimizar o impacto dessa crise.”, afirmou.

O secretário pediu ainda o apoio dos servidores: “Em nome da população do DF, principalmente, dos usuários da Saúde Pública, eu peço aos servidores que tenham um pouco de paciência pois estamos tentando tirar a Saúde dessa situação caótica. Hoje é domingo e eu estava em reunião, até há poucos, para buscar meios para criar essa condição o mais rápido possível. Só conseguiremos reverter esse quadro se estivermos juntos nessa jornada.”, conclama Gondim.

Pagamento deve sair nos próximos dias

Política Distrital fez contato com a Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Secretaria de Fazenda (30/Ago) que ao retornar afirmou que o pagamento das horas-extras deve acontecer nos próximos dias, embora não tenha informado a data. Ainda segundo a ASCOM, garantir o pagamento dos servidores do GDF é a maior prioridade da SEFAZ.

Artigo anteriorMaioria dos atendimentos em prontos-socorros do DF não são de emergências
Próximo artigoOmissão do governo faz empresários buscarem diálogo no Legislativo