Quase metade dos brasilienses coloca Saúde como principal carência do DF

42
Print Friendly, PDF & Email

A pesquisa traçou o ranking de necessidades da população ouvindo 2.952 pessoas, entre os dias 5 e 8 deste mês

Do ponto de vista da população, a maior necessidade do Distrito Federal é a melhoria da Saúde Pública. Conforme pesquisa do instituto Exata de Opinião Pública (Exata OP), 41,7% dos brasilienses espera e exige melhorias nos hospitais, postos de atendimento e demais serviços públicos, pelos quais a população paga impostos regularmente.

O estudo traçou o ranking de necessidades da população ouvindo 2.952 pessoas, entre os dias 5 e 8 deste mês. O segunda maior problema, para os brasilienses, é o transporte público, com apenas 9,6%. A terceira expectativa de destaque dos cidadãos é a Segurança Pública, apontada por 7,2% dos entrevistados.

Publicidade

“A necessidade da Saúde está bem destacada. É quatro vezes maior do que o segundo item”, observou   o diretor do instituto Exata OP, Marcus Caldas. Analisando os últimos 10 anos, o pesquisador afirma que a distância entre as principais necessidades da população era menor.

Problema nos transportes

Para Marcus Caldas, uma estratégia para a melhoria da  Saúde seria a adoção de modelos de terceirização.A ideia  encontra forte oposição entre os servidores públicos.

Na leitura de Caldas, a pesquisa também mostrou o aumento do descontentamento da população com o  transporte público, marcado por diversas problemas e falta de qualidade no atendimento aos brasilienses.

“Geralmente, o segundo item de destaque é a segurança pública. Mas ela caiu uma posição e a necessidade por melhoras no Transporte subiu”, explicou o especialista. Nesse sentido, Caldas avalia que a implantação real bilhete único e o investimento no  Metrô, BRT e VLT seriam caminhos para atender as expectativas da população.

Ponto de vista

Fiscalização é o primeiro passo para a melhoria do sistema de Saúde, avalia o cientista político  David Fleischer, professor da Universidade de Brasília. Para ele, o governo precisa aumentar os mecanismos de controle da qualidade dos serviços na rede pública e também nos estoques de medicamentos.

“O governo precisa mudar todo o sistema para fazê-lo funcionar bem. Sou pessismista. Não acho que é impossível. É quase impossível”, desabafou o especialista, que observa  há 43 anos o declínio do atendimento da rede pública do DF à população.

Governo tem de fazer mudanças

A maioria da população  espera que o governo faça mudanças. Segundo a pesquisa de opinião, 65,4% dos brasilienses acham que o governo está no rumo certo, mas precisa de mudanças. O governador Rodrigo Rollemberg é desaprovado por  46,7% e aprovado por  45,6%. O governo é avaliado como “regular” por 42%.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Artigo anteriorHospital de Base perde prazo e deixa de credenciar transplante renal
Próximo artigoReginaldo Veras cobra nomeações de aprovados em concursos