HMIB ganha prêmio em Fórum Internacional

60
Print Friendly, PDF & Email

Ações para a gestão de risco e segurança do paciente foram os destaques

Por Ana Luiza

O Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) recebeu menção honrosa da Angência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) referente ao trabalho que mostrou histórico de todas as ações realizadas no hospital visando a segurança do paciente e a gestão de risco, apresentado no 1º Fórum Internacional de Gestão de Risco e Segurança do Paciente, em junho de 2015. A equipe ganhou o prêmio após se classificar entre os 10 melhores dos 300 participantes de todo o Brasil.

“Agradecemos a todos os servidores que incentivaram as notificações de eventos adversos no HMIB. Essas informações são fundamentais para identificarmos os problemas e melhorarmos os processos de trabalho”, relata a chefe do Núcleo de Segurança do Paciente, Fabiana Mendes.

Segundo Fabiana, existe um longo caminho para a criação da cultura institucional que valoriza a notificação. O primeiro passo foi compor, oficialmente, a rede nacional de segurança do paciente do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), chamada Rede Sentinela, em maio de 2014. A adesão proporcionou um intercâmbio entre instituições nacionais e internacionais que trouxeram modificações no processo de trabalho e uma busca da melhoria contínua. Um avanço no HMIB, por exemplo, foi a criação da ficha de notificação online que aumentou em 49% os registros de eventos adversos.

“Antigamente tínhamos uma ficha de papel e o processo de notificação era mais burocrático. A ficha online agilizou e incentivou a equipe a aumentar o número de registros”, explica Fabiana.

Atualmente o Núcleo de Segurança do Paciente do HMIB é referência na rede de saúde pública do DF e disponibiliza consultorias para as demais regionais ajudando na implementação de novos núcleos de segurança para a gestão do risco sanitário.

Saiba mais:
Atualmente, 200 instituições de saúde em todo o Brasil compõem a Rede Sentinela. A rede é uma estratégia iniciada em meados de 2001, com o objetivo de ser observatório ativo do desempenho e segurança de produtos de saúde regularmente usados: medicamentos, kits para exames laboratoriais, órteses, próteses, equipamentos e materiais médico-hospitalares, saneantes, sangue e seus componentes. Somente em 2011 a Rede publicou os critérios para o credenciamento de instituições para abranger a estratégia de ampliação.

Fonte: Agência Saúde-DF