Saúde recebe reforço de profissionais concursados

30


Print Friendly, PDF & Email

Pasta nomeou 510 aprovados, mas até agora apenas 338 tomaram posse

Ailane Silva

A força de trabalho em diversos setores dos hospitais e unidades da rede pública do Distrito Federal será recomposta, com a colocação de novos profissionais empossados, nesta sexta-feira (17), em solenidade no Museu Nacional. Até a manhã de hoje, dos 510 convocados pela Secretaria de Saúde, 338 assinaram o termo de posse para entrar em exercício.

Para as áreas críticas que necessitam de reforço foram chamados pediatras, anestesiologistas, farmacêuticos e clínicos médicos. Também houve a convocação de médicos especializados em cirurgia geral, cancerologia, cardiologia, neurologia, psiquiatria e UTI adulto, além de enfermeiros. Entre os técnicos, estão os que atuam em enfermagem, anatomia patológica, radiologia e auxiliar de farmácia.

Com o novo chamamento, mais de 700 profissionais foram nomeados desde o início do ano, sendo a primeira convocação em abril com 205 profissionais, dos quais 167 tomaram posse, e a segunda com 30 servidores em junho, entre eles, 17 foram empossados. Além disso, 24 neonatologistas que foram nomeados em julho devem entregar a documentação até 12 de agosto.

Publicidade

“Hoje, nós já temos 522 servidores que tomaram posse neste ano para atuar nas unidades de saúde. Essa nomeação faz parte do nosso esforço para repor os servidores aposentados e os contratos temporários”, contabilizou o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, que estava acompanhado do secretário de Saúde, João Batista.

Para o chefe do executivo local, o aprimoramento dos serviços na saúde pública devem ser permanentes. Segundo ele, apesar das dificuldades, foi possível reabrir 40% dos leitos de UTI que estavam bloqueados, abastecer as unidades com medicamentos em 90%, além de reduzir em 27% os casos de dengue em Brasília.

“Nós temos avanços importantes na Saúde, uma pasta que veio desestruturada e com muitos problemas”, disse Rollemberg. “Temos convicção de que estamos distantes do que é necessário oferecer para a população, mas estamos trabalhando intensamente para reverter a situação e oferecer serviços de qualidade”, disse o governador.

De acordo com o secretário de Saúde, os profissionais atuarão nas unidade que mais necessitarem de reforço. “Ainda não concluímos a distribuição, mas vamos enviá-los para os locais mais críticos para melhorar a assistência à saúde. Os servidores escolheram o serviço público e certamente vão atuar para que a população tenha um atendimento digno, qualificado e humanizado”, destacou.

A anestesiologista Rebeca Vasconcelos, que veio de Recife e está em Brasília há 5 anos, afirma que, apesar do momento de dificuldade enfrentado pela Secretaria de Saúde, está disposta a contribuir com um serviço de qualidade.

“Eu já trabalhei na secretaria como contrato temporário e gosto muito de atuar nas unidades aqui do Distrito Federal. Temos muitas dificuldades e variáveis, mas há um campo muito vasto de trabalho que se torna um desafio diário e que nós precisamos contribuir”, disse.

Na opinião da profissional, o governo tem se esforçado para recuperar os serviços de saúde e recompor a força de trabalho, apesar do baixo número de profissionais anestesiologistas que tomaram posse até agora.

“Sabemos que estava previsto o chamamento de 36 anestesiologistas, mas o governo chamou 40. Infelizmente, apenas 17 vieram tomar posse até agora porque alguns que passaram na prova ainda estão fazendo residência e não podem assumir. Mas reconheço o empenho do governo”, disse.

tabela

Fonte: Agência Saúde