Entrevista polêmica pode gerar processo contra o ex-secretário Hélio Doyle

43


Print Friendly, PDF & Email

A Câmara Legislativa do Distrito Federal divulgou nota para imprensa, em que repudia as declarações do secretário-chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, que pediu demissão do cargo na última quarta (10). Em entrevista ao Bom Dia DF (Veja vídeo no final da matéria), Doyle disse que era alvo de chantagens e que distritais pediam cargos em empresas públicas em troca de apoio político.

No texto, a Câmara diz sofrer “ataques gratuitos” do gestor, que deixa o cargo no início da próxima semana. “Para justificar a sua mais recente exoneração, o ex-secretário levanta falsas e vazias acusações contra os membros da CLDF, das quais afirma não possuir qualquer prova. Mas por cada uma delas terá que responder no foro competente”, diz a nota

O documento é institucional e não tem a assinatura de um parlamentar ou da Mesa Diretora. A presidente da Câmara, Celina Leão (PDT), afirmou que Hélio Doyle será acionado judicialmente. Sem cargo público, ele não pode ser convocado a depor na Casa.

“A instituição vai entrar com uma representação para que ele diga quais deputados fizeram atos ilícitos. Para que ele cite quando aconteceu e de que forma aconteceu”, disse Celina. Citada no discurso de demissão de Doyle, a parlamentar afirmou ao G1 no mesmo dia que nunca pediu ao governador Rodrigo Rollemberg que exonerasse o chefe da Casa Civil.

Leia a íntegra da nota divulgada pela Câmara Legislativa do DF:

Publicidade

A Câmara Legislativa do Distrito Federal vem a público repudiar os ataques gratuitos que está sofrendo do ex-secretário Hélio Doyle.

A demissão do ex-secretário é problema exclusivo do Poder Executivo do DF.

Quanto às irregularidades que o ex-servidor público, Hélio Doyle, diz ter tido conhecimento durante sua gestão na Casa Civil, causa estranheza o fato do ex-servidor não as ter denunciado às autoridades competentes, à época dos fatos.

Para justificar a sua mais recente exoneração, o ex-secretário levanta falsas e vazias acusações contra os membros da CLDF, das quais afirma não possuir qualquer prova. Mas por cada uma delas terá que responder no foro competente.

A Câmara Legislativa do Distrito Federal não se afastará do dever que lhe foi legitimamente delegado pelo povo do Distrito Federal e continuará legislando na defesa intransigente dos interesses e necessidades da população. Também não abrirá mão de fiscalizar o Poder Executivo cobrando maior transparência, eficiência e eficácia de seus atos, independente da opinião de qualquer secretário de Estado.

Fonte: Câmara em Pauta