Associação de blogueiros recebe senador Hélio José em almoço entrevista

23


Print Friendly, PDF & Email

Associação de blogueiros de política do DF e entorno recebe em almoço entrevista o senador Hélio José, que fala de sua militância e projetos. Hélio surpreende a todos ao falar, também, da acusação de pedofilia da qual foi vítima.

O primeiro de uma série de encontros que a Associação Brasiliense dos Blogueiros de Política(ABBP) pretende realizar para ouvir, individualmente, políticos, autoridades, agentes públicos, lideranças e formadores de opinião, os blogueiros associados receberam em almoço no dia de hoje(6) o senador Hélio José (PSD-DF), em um clube no Setor de Clubes Norte.

Após apresentar cada um dos blogueiros ao Senador o presidente da ABBP passou a palavra ao convidado.

Hélio José agradeceu ao convite e a oportunidade de “poder conversar com os colegas que fazem as redes sociais”. Citou, nominalmente, vários blogueiros presentes fazendo referencias ao trabalho de cada um. “Idovan e seu trabalho heroico na rádio Federal, Sandro Gianelli um excelente publicitário e comunicador, Donny Silva que se adianta aos grandes meios da imprensa, o Radar Condomínios, do Toni que informa uma parcela importante de nossa população, enfim tanta gente boa aqui. Fico sinceramente, honrado em estar aqui e ter sido o primeiro dos muitos convidados que aqui virão”.

Não entrei hoje para a política, tenho história aqui

Senador Hélio fala aos blogueirosO senador contou um pouco da história e militância na política. Segundo Hélio, para que não pensem que ele virou político só agora ao assumir a suplência no Senado: “Eu tenho história na política do DF e não é de hoje. Em 1979, eu estava na UnB (Universidade de Brasília) onde já enfrentávamos a ditadura e discutíamos formas de resistência. Dali, daqueles debates surgiu a ideia de criarmos o PT e, em seguida a CUT (Central Única dos Trabalhadores), da qual fui diretor por cinco vezes. Participei, portanto, da fundação nacional de ambos.

Publicidade

O PT entrou na política do “arroz com feijão” e jogou fora todos os nossos sonhos

Em um rápido balanço da trajetória do PT, Hélio afirmou que o PT começou a fazer a política tradicional que condenara, se aliou ao José Alencar (falecido senador mineiro, bilionário que virou vice de Lula). “No primeiro mandato do Lula o Brasil estava em uma situação tão ruim que o pouco que ele fez pareceu muita coisa. E, no segundo mandato, Lula e o PT jogaram fora os sonhos de todos que fundaram o Partido, em nome de um projeto de poder. E deu em casos como mensalão, Petrobras, etc”.

Eu não tinha mandato, mas tinha uma força que incomodava dentro do PT

Ainda sobre a sua militância no PT e o processo de escolha de seu nome para suplente na chapa do então candidato ao Senado, Rodrigo Rollemberg (PSB), Hélio afirmou que, apesar de não ter mandato, a exemplo dos deputados petistas, Chico Vigilante, Geraldo Magela e Arlete Sampaio: “eu tinha uma força interna bem maior do que a deles. Eu representava os descamisados do partido. A maioria mesmo”. Sobre este processo de escolhas, o senador disse ter enfrentado uma “verdadeira guerra interna, com tudo de ruim que uma guerra representa”.

Senador surpreende a todos e toca em assunto delicado: pedofilia

Para a surpresa de todos, Hélio resolveu tratar e esclarecer sobre uma acusação contra a sua pessoa bastante explorada nas eleições do ano passado, a de pedofilia. Ele disse que “tudo foi uma sórdida armação dos que não conseguiram me convencer a desistir da suplência do hoje governador Rollemberg. Usaram a minha família, da maneira mais vil possível para me atingir. Mas o ministério público e a polícia investigaram com toda a liberdade e determinação e ficou provado que nada daquilo era verdade.”, esclarece Hélio ao informar a primeira ação após o retorno do recesso parlamentar, em Fevereiro: “Por conta disso, no início da próxima legislatura, no mês de fevereiro, vou apresentar projeto propondo penas severas para quem praticar pedofilia e para quem acusar sem provas desta prática.”, afirmou, emocionado, o senador.

Mandato dividido em quatro quadrantes

Em seguida, o senador declarou que o seu mandato será “dividido em quatro quadrantes”, e os definiu:

O primeiro, os menos favorecidos: “Como, por exemplo, vocês que fazem as redes sociais e são discriminados, mas que terão em mim um aliado de todos as horas”;

O segundo, voltado ao setor produtivo: “como eu posso defender mais empregos e melhoria de qualidade de vida, sem defender quem pode propiciar tudo isso? Temos que fortalecer o nosso setor produtivo”;

O terceiro, o da habitação. “Aqui temos que pensar em política habitacional e em segurança, para que o cidadão possa morar bem e ter a certeza de seus lares e suas famílias estarão seguras. Sem isso, não existe morar bem”.

E, por último, o quarto quadrante, o do servidor público. “Eu tenho o maior orgulho de ser um servidor público, concursado. De ter uma ficha limpa no serviço público. De não ter cometido deslizes. A maioria dos nossos servidores é assim, mas precisam de nosso apoio para continuar agindo dessa forma e prestando um serviço de qualidade. Temos que dar todas as condições e apoio ao nosso servidor público e eles sabem que podem contar comigo. Sou um deles”.

Administradores cumprimentam o senador e parabenizam iniciativa da ABBP

en. Hélio José, Danúbio Martins e o pres. da ABBP, prof. Chico.Além dos blogueiros, compareceram ao evento o ex-administrador regional do Núcleo Bandeirante, Danúbio Martins, considerado como certo pela comunidade para voltar a dirigir àquela Região Administrativa, e Wander Azevedo, também ex-administrador do Lago Sul e atual administrador provisório daquela bacia. Ao reencontrar Danúbio, Hélio foi categórico: “Danúbio é o meu administrador do Núcleo Bandeirante.” afirmou o senador.

Ambos foram unânimes em afirmar a importância de eventos dessa natureza.

De acordo com Danúbio Martins: “A sociedade não pode mais abrir mão da força dos blogs e das redes sociais. Vocês vivem o dia a dia das suas comunidades. Sabem o que precisam e de que forma podem ser ajudados. Conhecem todos os políticos. Os que podem ajudar a comunidade de vocês e os que só querem votos. E com o poder da internet vocês interferem mais que a imprensa tradicional”.

Já Wander Azevedo, afirmou: “se hoje temos liberdade de imprensa foi graças ao trabalho e sofrimento de muitos que enfrentaram a ditadura (em referencia ao Senador), e que a grande imprensa, que se acha a dona da verdade, tem que respeitar o trabalho de vocês”