Deputado apresenta projeto para garantir acompanhante em UTIs

220
Print Friendly, PDF & Email

O deputado Leandro Grass (Rede) protocolou o Projeto de Lei 84/2019, que dispõe sobre a permanência de acompanhantes em unidades de terapia intensiva (UTI) de hospitais, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e maternidades públicas e privadas, além das neonatais. O objetivo da proposta é evitar que os pacientes, já em situação de vulnerabilidade, fiquem sozinhos dentro das UTIs.

Situação vivida pelo advogado Boni Soares, 35. Há dois anos, ele foi vítima de uma doença repentina e passou 98 dias dentro de hospitais, sendo 27 em UTIs. “Graças ao choro da minha mãe, ao desespero da minha namorada, ao desencanto do meu pai e ao desalento da minha família, consegui o bom senso do hospital para deixar que um acompanhante estivesse ao meu lado”, conta.

Para o advogado, a presença da família foi fundamental na recuperação. “Durante esse período, em que tudo é desencanto, tudo é tristeza, em que o sol não brilha para você, em que tudo não passa de quatro paredes de um quarto, ter um familiar, um parente ao seu lado te dá vida, te dá esperança, te dá alegria, te dá sorriso, te dá força para acreditar que um dia você sairá dali”, conta.

Autor da proposta, o deputado Leandro Grass afirma que a medida visa dar o mínimo de qualidade de vida aos pacientes internados em UTIs do DF. “Propus o projeto por perceber, a partir de exemplos, que o acompanhamento potencializa a recuperação dos pacientes. É também uma forma de humanizar as UTIs, umas vez que são espaços de dor e sofrimento, não apenas para quem está lá, mas para os familiares dessas pessoas”, defende o distrital.

O PL indica a unidade de saúde como responsável por providenciar as condições adequadas de permanência do acompanhante. Será permitida a presença de apenas uma pessoa com o paciente, resguardando o tempo de três horas por dia onde são realizados os procedimentos de higienização tanto do local como dos pacientes, além dos exames de maiores complexidades.

Publicidade

A proposta está tramitando na Comissão de Educação, Saúde e Cultura. Antes de ir para votação entre os deputados no Plenário, também passa pelas comissões de Economia Orçamento e Finanças e de Constituição e Justiça.

“É para isso, para a aprovação deste projeto, que estou aqui. E é por isso que eu torço, para que cada ser humano do DF tenha condições de ter uma pessoa acompanhando o tempo inteiro toda a dificuldade que é o período dentro de uma UTI”, resume Boni Soares.

Fonte: Ascom Leandro Grass