“Está tarde demais. Isso é o fim.” Tchau, Rollemberg

433


Print Friendly, PDF & Email

Por Gutemberg Fialho

Depois de quatro anos, fico feliz em escrever o último artigo de 2018 afirmando: estamos a poucos dias do fim do governo de Nero, o imperador insano – também conhecido como Rodrigo Rollemberg. Só faltou, literalmente, incendiar o Distrito Federal. E, agora, por último, assim como na história romana, Rollemberg revela certa obsessão pela popularidade, dizendo que “quer ser conhecido como o governador que recuperou Brasília”. Improvável, acredito.

Não podemos dizer que o atual governador se esforçou para ganhar tal fama. Pelo contrário. Segundo pesquisa Ibope, divulgada em setembro deste ano, 63% dos entrevistados avaliam a gestão do socialista como ruim ou péssima. Há quem diga, inclusive, que este foi o pior governo do Distrito Federal. E, creio, diante de tal cenário, os próximos anos serão de muito trabalho para tentar reerguer Brasília e suas regiões administrativas: o verdadeiro legado de Rollemberg.

Mas, não devemos nos apegar a esse legado. Como disse, junto com 2019, novos governos e governantes se apresentarão. E, acredito, nossas escolhas serão responsáveis por dias melhores. Aqui no DF, a expectativa é de que sejam, aliás, novos tempos. Após o trauma das escolhas de Rollemberg, tenho esperança de que a próxima gestão seja mais cautelosa e, principalmente, democrática em todos os passos que der. É preciso ouvir. É preciso conversar. É preciso transitar e saber, de fato, qual a melhor maneira de agir.

Para os servidores públicos do DF, em especial da Saúde, Segurança e Educação, enfrentar a falta de diálogo do atual governo, junto com a incapacidade de gestão, foi doloroso. Por isso mesmo os sindicatos, de maneira geral, tiveram papel importante ao denunciar as atrocidades e inverdades desta gestão. Sempre estivemos ao lado do que é justo. E não ter o básico dentro dos hospitais públicos, como algodão, por exemplo, não é aceitável.

Publicidade

No que diz respeito ao compromisso do SindMédico-DF com a população e os servidores, em especial os médicos, afirmo: continuem contando conosco. Torcemos para que o próximo governo proponha um caminho marcado pela boa gestão e pela eficácia e devolva à população do Distrito Federal sua autoestima.

Boas festas a todos.

Gutemberg Fialho é presidente do Sindicato dos Médicos do DF