Secretário se queixa de ausência da equipe de transição da Saúde, do novo governo do DF

531
Print Friendly, PDF & Email

Após nova reunião nesta terça (20), Pasta permanece sem definição de secretário

Por Kleber Karpov

O secretário de Estado de Saúde do DF (SES-DF), Humberto Lucena Pereira da Fonseca, comandante da pasta mais sensível do GDF emitiu um documento ao chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, para reclamar o ‘abandono’ da SES-DF durante a transição do governo. A Pasta é alvo constante de críticas, seja por iniciativas consideradas equívocas ou pela demonstração da falta de capacidade de gestão, por especialistas em Saúde, pela classe política e entidades ligadas a Saúde, durante o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB).

No documento, Fonseca aponta que, embora tenha encaminhado as documentações previstas em decreto, até o momento, a equipe de transição do governador eleito, Ibaneis Rocha (MDB), fez contato com o atual Secretário para tratar de temas da Pasta.

Ao chefe da Casa Civil, o secretário alega haver processos dependentes de tomadas de decisões, imediatas, com repercussões no próximo governo.

Publicidade

Transição

Ibaneis chegou a nomear a equipe de transição que deve fazer um ‘Raio X’, das condições da Saúde do DF. Entre os problemas a serem analisados, está um dos ‘cases’ de Rollemberg no segmento, a criação do Instituto Hospital de Base do DF (IHBDF), que pode estar com os dias contados, enquanto Serviço Social Autônomo (SSA).

Equipe de transição da Saúde definida por Ibaneis Rocha – Foto: Facebook/Jorge Vianna

Além do ex-secretário de Saúde, Jofran Frejat (PR), que deve coordenar, de fora, o diagnóstico e gestão da SES-DF, a equipe de transição conta coma superintendente do Instituto de Cardiologia do DF (ICDF), Núbia Welerson Vieira; o vice-presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SindMédico), Carlos Fernando da Silva; e o médico de carreira Adriano Guimarães Ibiapina.

Porém, até o momento, a nova composição do GDF permanece sem definição do nome que deve assumir a SES-DF, para o próximo governo. Embora o novo secretário possa estar entre um dos membros da equipe de transição.

Cautela

Para o deputado distrital eleito e, vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), Jorge Vianna (PODEMOS), a demora na definição do nome, pode significar cautela, por parte de Ibaneis.

“No governo Rollemberg, foram quatro nomes anunciados, com três secretários que efetivamente assumiram a Secretaria de Saúde. E todos sabem que a Saúde do DF já era sensível antes e agora, principalmente, com os vários erros cometidos por Rollemberg e pelo atual secretário de Saúde, está em uma situação extremamente delicada. É urgente que participemos da equipe de transição e isso já definido pelo governador, mas ao mesmo tempo, creio que ele [Ibaneis] esteja sendo cauteloso, pois sabe que precisa de um nome que venha para resolver os vários problemas da saúde, para os usuários e, também, para os servidores.”, disse Vianna.

Com informações de Metrópoles

 

 

0

Comentário