Frejat diz ser contra Instituto Hospital de Base, durante reunião de transição

1342
Print Friendly, PDF & Email

Ex-secretário questionou ‘incompetência’ de servidores, somente após gestão de Rollemberg

Por Kleber Luiz

Na tarde de segunda-feira (19/Nov), o ex-secretário de Saúde do DF, Jofran Frejat (PR), durante a reunião, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), para definição da transição do governo, para a Saúde, realizada pelo governador eleito, Ibaneis Rocha (MDB), se posicionou contrário a continuidade do Instituto Hospital de Base do DF (HBDF).

De acordo com Frejat, o modelo está fadado ao fracasso, sobretudo por manter, no mesmo espaço, servidores estatutários e celetistas. “Quando você bota estatutário e celetista com cargas horárias e salários diferentes, dá problema. Quando você faz esse tipo de diferenciação, não funciona. Vai ter briga permanente”, afirmou.

Sem citar nomes, Frejat frisou ainda que o funcionamento da Saúde do DF, se dará pela valorização dos servidores, em vez de mudança de modelo. “Ele [ o servidor público] tem uma capacidade enorme de fazer o trabalho. Como eles foram competentes na nossa época e não são mais? Ficaram bobos? Claro que não. A questão é dar condições para que eles façam um bom trabalho”, argumentou.

Publicidade

Transição

Frejat esclareceu ainda que deve colaborar na gestão da Saúde, durante o governo Ibaneis, porém, sem fazer parte oficialmente da estrutura, mas como uma espécie de curador de experiências. “Vou mostrar o que e como fizemos, como criamos os centros de saúde, os hospitais regionais e laboratórios”, comentou.

Duas secretarias

Também na reunião, Frejat ratificou o que havia adiantado ao Política Distrital (PD), sobre a divisão da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) em duas unidades, uma para gerir a Atenção Primária e uma segunda para os Hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

“Esse equívoco já se cometeu no passado. Acho que ele [Ibaneis] entendeu que não era uma boa ideia. Não tem problema ter um secretário e colocar quantos adjuntos quiserem. Quando foi colocado o secretário de saúde e o presidente da fundação hospitalar, os dois bateram cabeça”, lembrou.

Secretário de Saúde

Durante a reunião ficou definido um novo encontro, na terça-feira (20/Nov), para a definição dos nomes que devem compor o processo de transição do governo, na Saúde. Embora ainda sem definição, é possível que o vice-presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SINDMÉDICO-DF), Carlos Fernando, seja o responsável por compor tal equipe.

A expectativa é que ainda nessa semana, Ibaneis deve definir o nome do novo secretario de Saúde.

Com informações de Metrópoles

 

 

 

1

Comentário