Ibaneis pode recuar em relação a criação de duas secretarias na Saúde

1717
Print Friendly, PDF & Email

Conselheiros do governador, na Saúde, divergem sobre separação de gestão da Atenção Básica e hospitalar, por considerarem complementares

Por Kleber Karpov

Durante a semana, o governador eleito Ibaneis Rocha, chegou a anunciar à imprensa, a intenção de criar duas secretarias na Saúde do DF. Uma para gerir toda Atenção Básica e uma segunda para gestão das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais. Porém, os principais nomes ligados ao segmento, a exemplo do ex-secretário de Saúde, o médico Jofran Frejat (PR), o deputado distrital eleito e vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), Jorge Vianna (PODEMOS) e o o presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SINDMÉDICO-DF), Gutemberg Fialho (PR), desaconselham tal divisão.

Responsáveis por um possível endossamento do nome do próximo secretário da Saúde do DF (SES-DF), que deve ser estabelecido por meio de uma lista tríplice, a ser definida por entidades sindicais, conselhos e associações ligadas ao segmento, Frejat, Vianna e Fialho, sugerem reconsideração por parte do governador eleito.

Ao Política Distrital (PD), Frejat afirmou haver precedente de uma tentativa de divisão dessa natureza que se mostrou sem êxito. “O Ibaneis mencionou rapidamente a possibilidade de ter dois secretários: um na atenção primária e outro na hospitalar. Eu me posicionei contrariamente. Já houve uma experiência no passado e não foi exitosa. No eu entendimento há um encadeamento desde à atenção primária, passando pela secundária, terciária e até mesmo a quaternária que creio necessitar de um comando único.”, disse Frejat.

Publicidade

Para Vianna a divisão também deve ser descartada. “Estivemos com o governador Ibaneis, eu, o doutor Frejat e com o doutor Gutemberg, conversamos com ele sobre essa divisão e explicamos que discordamos dessa mudança, pois entendemos que as duas áreas, a atenção primária e a hospitalar estão ligadas uma a outra.”, disse ao observar que “ele [Ibaneis] ficou de avaliar.”, concluiu.

Posições essas ratificadas também por Fialho. “Pode até ter duas subsecretarias, mas sob um comando, duas secretarias, não dá certo. Já aconteceu antes e não funcionou.”, disse o sindicalista.

Escolha do Secretário

Em reuniões realizadas no início da semana, entre representantes de entidades sindicais, de conselhos e associações ligadas a Saúde, ao menos quatro nomes estão entre os mencionados para assumir a SES-DF.

Gutemberg Fialho (PR)
Médico e advogado
presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SINDMÉDICO-DF)

 


Adriano Guimarães Ibiapina
Cirurgião-geral e cirurgião-bariátrico;
Ex-diretor do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN);
Perseguido pela atual gestão da SES-DF, por fazer parte da composição do plano de governo da Saúde do então candidato ao GDF, Jofran Frejat (PR);


Leonardo Esteves
Secretário Municipal de Saúde de Valparaiso(GO);
Médico da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF);
Esteve na reunião e se lançou como candidato ao cargo;


Gilney Guerra
Enfermeiro;
ex-presidente do Conselho Regional de Enfermagem do DF (COREN-DF);
Primeiro-tesoureiro do COFEN;

Definição

A definição da lista deve ocorrer, em nova reunião a ser realizada na próxima segunda-feira (6/Nov). Porém, considerado o Conselheiro oficial de Ibaneis, Frejat pode ser responsável por dar a última palavra, na definição de nome do novo secretario de saúde.

Questionado sobre a existência de algum nome preferencial para assumir a SES-DF, Frejat foi monossilábico e se limitou a um “não”.

Atualização: 2/11/2018 às 20h19

2

Comentário