Plano de governo: estender Fake News para outros hospitais

193
Print Friendly, PDF & Email

Por Carlos Fernando

A cara de pau da atual gestão do Buriti não tem limites. Prova disso foi a mais recente declaração de Rodrigo Rollemberg após apresentar um balanço dos oito primeiros meses do Instituto Hospital de Base (IHBDF). Segundo ele e seu fiel escudeiro, Humberto Fonseca, a maior unidade de Saúde do Distrito Federal vai muito bem, obrigado. Por isso, afirmou, se reeleito – o que, pelo bom senso da população, não deve acontecer -, pretende estender o modelo para outros hospitais do DF. “Esse é o nosso objetivo. Começando por grandes hospitais como o Hmib (Materno Infantil da Asa Sul), HRT (Taguatinga), HRC (Ceilândia) e HRG (do Gama)”, adiantou o governador.

Deus nos livre! A verdade é que os avanços após a transformação do Hospital de Base em Instituto são uma grande Fake News: o que, caso o governador não saiba, está sendo alvo do TSE este ano e, inclusive, é passível de multa. Quando o governo diz, por exemplo, que zerou a fila de oncologia do IHBDF, isso significa, na verdade, que houve, como prevíamos, limitação na porta de entrada e não uma melhora efetiva no atendimento. Já falei sobre isso uma vez e volto a dizer: Rollemberg se utiliza da semântica para subtrair informações relevantes em suas afirmações. Tal conduta, minimamente, esclarece porque chegamos ao ponto em que estamos hoje: sem Saúde, sem Segurança, sem Educação e com as taxas de desemprego aumentando mês a mês.

Segundo dados atualizados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Ministério da Saúde, houve queda de 16% na produtividade do Hospital de Base se compararmos janeiro a junho deste ano (já Instituto) com o mesmo período do ano passado nos procedimentos de tratamento de pacientes sob cuidados prolongados por enfermidades oncológicas, tratamento de intercorrências clínicas de pacientes oncológicos e no tratamento clínico de paciente oncológico. Além disso, é preciso dizer, a residência médica em oncologia do IHBDF foi descredenciada por descumprir a legislação dos programas de residência médica. Onde estão os avanços citados pelo governador?

E, vale ressaltar, estou citando dados porque eles corroboram com a verdade. Mas, basta ir à porta da emergência do Instituto Hospital de Base para ver que, a cada dia que passa, menos pessoas têm acesso ao local. Esse dia, inclusive, em uma matéria televisiva, ao ser convidado para avaliar o IHBDF, um paciente afirmou: “o difícil é entrar”. Outra, disse: “é muito demorado, até para marcar consulta. Esperei um ano”. Por favor, governador, pare de tentar distorcer os fatos. Busque a reeleição com a verdade nua e crua. Não venda gato por lebre. Até o número de leitos clínicos para tratamento oncológico do SUS no DF diminuiu do ano passado para cá!

Publicidade

O acesso ao Sistema Único de Saúde (SUS), reza a cartilha, deve ser integral, universal e gratuito. E isso não acontece hoje no IHBDF. Portanto, querer estender esse modelo, que até hoje é questionado pela Justiça, é, no mínimo, irresponsável. Avanços só acontecem na prática e não por meio de Fake News. Peço, por favor, mais prudência e menos demagogia na hora de governar. Terceirizar e privatizar são o avesso de desenvolvimento. Avanço real é investimento no SUS. O resto é panfletagem política.

Carlos Fernando é presidente em exercício do SindMédico-DF

1

Comentário