Frejat critica divisores das vias de ‘resgate de Brasília’ e promete repensar retomada à pré-candidatura ao GDF

582
Print Friendly, PDF & Email

Para ex-pré-candidato, postulantes ao Buriti legislam em causa própria

Por Kleber Karpov

Após anunciar desistência a disputa pelo governo do Distrito Federal (17/Jul), em ato organizado por pessoas contrárias a desistência,  na frente da casa do ex-postulante, na noite de quarta-feira (18/Jul), o ex-pré-candidato Jofran Frejat criticou outros postulantes ao Buriti, por dividirem proposta inicial de resgate de Brasília.

De cima de um carro de Som, Frejat falou sobre a desconstrução de movimento, em alusão ao resgate de Brasília, iniciado por mais de uma dezenas de legendas partidárias, ainda em 2016.

Sem citar nomes, o ex-postulante ao Buriti, com 25% de intenções de votos, de acordo com pesquisa recente, registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Entre esses, Rogério Rosso (PSD), Izalci Lucas (PSDB), Alírio Neto (PTB).

Publicidade

“No momento em que meu nome começou a aparecer nas pesquisas como um possível candidato eu aceitei o desafio e comecei a trabalhar. Mas é curioso. Na medida em que o meu nome crescia, ao invés das pessoas somarem, começou as divisões. O curioso é que agora várias setores que se dividiram via tal, via qual, via não sei o quê, agora estão tentando se aproximar novamente. Por que não fizeram antes? Por que não somaram com a gente para resgatar Brasília da situação que se encontra? A gente sabe. É porque os interesses pessoais são maiores que os interesses coletivos.”, disparou.

Se cuida Rollemberg

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

A notícia que deve incomodar muita gente, sobretudo o candidato a reeleição, o atual ocupante do Buriti, Rodrigo Rollemberg (PSB). Durante da manifestação, Frejat prometeu refletir sobre eventual retomada à pré-candidatura. “Diante da manifestação, eu não vou tomar essa posição individualmente. Vou refletir sobre o assunto, pensar e me comunicar com os presidentes dos partidos [aliados] e do meu partido. Se não for nas condições que eu quero, não faço”. Posição essa que se retomada, na avaliação de alguns políticos,  pode destronar Rollemberg, ainda em primeiro turno.

No entanto

Frejat foi enfático ao ponderar que só deve voltar atrás, caso a legenda aceite os termos que deve apresentar. “Se vocês acreditam em mim durante todo esse meu trabalho, então me darão este tempo para que eu, refletindo, possa levar amanhã [minhas condições] à discussão, para que os partidos digam como é que eu devo proceder. Se aceitarem, volto atrás.”, disse.

Com informações de Metrópoles

0

Comentário