Paciente reclama de falta de médicos no Hospital Regional do Paranoá

59
Print Friendly, PDF & Email

Na manhã desta segunda-feira (2/7), a ausência de profissionais deixou a população aguardando atendimento por horas

Brasilienses enfrentam dificuldade para conseguir atendimento no Hospital Regional Leste, o antigo Hospital Regional do Paranoá (HRPa), nesta segunda-feira (2/7). Segundo relatos, faltam médicos e os serviços têm levado horas.

A tradutora Jihan Arar, 50 anos, chegou às 9h na unidade de saúde e só conseguiu atendimento mais de três horas depois. Mesmo tendo que lidar com uma crise de asma, Jihan precisou percorrer os corredores do hospital e recorrer à administração.

Sem pessoal na emergência, um profissional do centro cirúrgico precisou ser deslocado para socorrer a tradutora. Segundo ela, não há médicos no local, quando deveria ter pelo menos um.

“Informaram que o atendimento ambulatorial está suspenso até as 14h. Geralmente, há três clínicos na emergência, mas aqui, agora, não há nenhum”, explicou Jihan, que foi medicada e, quando conversou com o Metrópoles, aguardava o retorno do médico.

Publicidade

Em 21 de junho, a reportagem mostrou que pacientes sofreram na fila de atendimento do hospital, dormindo nas dependências da unidade e suportando uma temperatura de 14ºC.

À reportagem, a Secretaria de Saúde informou que, devido ao ponto facultativo nesta segunda-feira (2), não há atendimento ambulatorial na rede pública de saúde, funcionando apenas emergências e Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs).

Quanto a escala, o Hospital da Região Leste esclarece que o atendimento nesta tarde ficou restrito aos casos graves, com previsão do serviço ser normalizado à noite. Orientou ainda que a população procure outras unidades próximas, como a UPA de São Sebastião. Finalizou dizendo que a previsão é que novos profissionais assumem os postos na unidade ainda neste semestre.

Arquivo cedido ao Metrópoles
Quadro de médicos na emergência não possui o nome de nenhum profissional – Arquivo cedido ao Metrópoles

Fonte: Metrópoles

0

Comentário