“A UPA foi aberta para desafogar o hospital” afirma diretor do Sindate-DF sobre fechamento de unidade em Sobradinho

222
Print Friendly, PDF & Email

Sindicato criticou fechamento da UPA Sobradinho e agendou, para terça (9), manifestação para exigir reabertura da unidade

Por Kleber Karpov

Na quarta-feira (20/Jun), os diretores do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), Newton Batista e Moisés Miranda estiveram na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Sobradinho. Juntamente com representantes do Conselho de Saúde, os sindicalistas constataram e criticaram o atendimento da Unidade. A direção do SINDATE-DF agendou uma manifestação, para as 9 horas, da próxima terça-feira (26/Jun), no local.

De acordo com os diretores do SINDATE-DF, o fechamento ocorreu por falta de médicos para fechamento de escala. “Esse fechando prejudicará toda a região norte, uma vez que a população de Planaltina também é atendida na UPA de Sobradinho. Governador, respeite o povo” disse Moisés Miranda.

No entanto, Newton Cardoso lembrou que o governo está se utilizando da solução mais simples. Isso porque a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), pode realizar nomeações para suprir o déficit de profissionais na unidade.

Publicidade

“É mais fácil fechar as UPAs do que convocar novos profissionais. Não iremos mais aceitar desculpas, vamos partir para briga e trazer a UPA de volta para os moradores”, disse ao afirmar que “o servidor não pode ser penalizado por mais um ato de desgoverno desse governador”, disparou Newton Cardoso em um vídeo gravado em frente a UPA Sobradinho e publicado nas redes sociais.

Mais um serviço sendo fechado, prejudicando servidores e população. Estão fechando a UPA de SOBRADINHO e por falta de médicos os servidores estão se deslocando ao HRS.

Posted by Newton Batista on Wednesday, June 20, 2018


Déficit de servidores

O caso ocorre após deliberações da Superintendente da Região de Saúde Norte, Ricardo Tavares Mendes, em que apontaram que a UPA Sobradinho opera, atualmente, com apenas com 16 dos 32, ou seja, 50% do efetivo de médicos, necessários para garantir o atendimento na Unidade. Com o agravante da ausência de outros quatro profissioanais. Três de licença médica por período prolongado além de uma médica em licença-maternidade.

Com o desfalque de médicos, a superintendência estabeleceu a remoção de pacientes com indicação de internação para o Hospital Regional de Sobradinho (HRS), a suspensão de transferências de pacientes do HRS e do Hospital Regional de Planaltina (HRPl) para a UPA Sobradinho, a redistribuição dos profissionais de enfermagem para o HRS, além da limitação de atendimento no Pronto Socorro – Clínica Médica do HRS, apenas aos pacientes considerados graves, com classificações de risco laranja e vermelho.

 

0

Comentário