Guará: Chamem o Tarzan

134
Print Friendly, PDF & Email

Por José Gurgel

Continuo com o Caixa Preta que não se cansa de falar das praças internas do Guará, que estão pra lá de detonadas, os parquinhos então nem se fala, bancos, piso, sujeira, enfim, tudo que não deveria ter numa praça temos nas nossas, com isso o velho Caixa vai à loucura.

Muitos pais já não levam os pequenos pra brincarem nas praças, pois estão com medo das crianças serem comidas por algum animal selvagem. Meu cachorro, coitado, anda de orelhas em pé quando passa por algum beco onde o mato está alto.

O pessoal do WhatsApp, de gozação, anda comentando que tem morador da região que está andando armado pra se prevenir, caso tenha que enfrentar algum ataque das feras que porventura estejam habitando aquela selva. Alguns mais exagerados falam até em rugidos durante a noite, mas deve ser o estômago roncando, pois deve ter ido pra cama sem lanchar, as gozações são inúmeras.

Mas é preciso que a empresa responsável pela roçagem volte a atuar, nem que pra isso façam mutirões, o que não pode é o mato continuar crescendo sem ninguém se importar em acabar com o problema.

Publicidade

Que diga-se de passagem, não é novo por aqui no Guará, pois do jeito que a coisa vai, como diz o velho Caixa, a solução: “- Chamem o Tarzan”!

Fonte: Caixa Preta – O guerrilheiro do Cerrado

0

Comentário