Após morte de paciente que tomou Benzetacil em ESF de São Sebastião, caso da unidade tem reviravolta

3929
Print Friendly, PDF & Email

Médica que tentou salvar paciente encaminhou memorando à SES-DF em que informa suspensão de atendimentos na unidade, por falta de estrutura   

Por Kleber Karpov

Cerca de um mês após a morte de Dona Edivina, de 51 anos, na Equipe Saúde da Família (ESF) de São José, em São Sebastião (29/Nov), após ser medicada com uma dose de Penicilina Benzatina, popularmente conhecida por ‘benzetacil’ o caso ganha uma reviravolta. Médica oficia a SES-DF sobre a falta de condições de atendimento na unidade para evoluções de estado de saúde para casos emergenciais.

Política Distrital (PD) teve acesso a um memorando, de fonte que pediu sigilo de identidade, supostamente emitido pela doutora Luciana Alves Almeida, médica que tentou ressuscitar Dona Divina, sem êxito. Com data de 20 de dezembro, no documento, a profissional de saúde informa a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) sobre a suspensão de aplicações de medicações no ESF São José, por falta de estrutura adequada.

Entre os equipamentos básicos, para realizar atendimento de paciente vítima de ParadaCardiorrespiratória (PCR), estão ”equipamentos básicos como bala de oxigênio funcionante(Sic), laringoscópio, lâminas para laringoscópio, fio guia para tubo endotraqueal, DEA (desfibrilador externo automático), mascara laríngea, para atendimento de paciente vítima de PCR.”, afirma a médica no memorando.

Publicidade

Confira o memorando na íntegra

Repercussão

O caso ganhou notoriedade, pois foi pautado à imprensa pelo Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF). A entidade denunciou a prática de assédio por parte dos gestores que tentavam obrigar técnicos em enfermagem a fazer medicações, sem supervisão de médicos, ocasião em que o vice-presidente do SINDATE-DF, Jorge Vianna, sugeriu que poderia ocorrer tragédia no ESF.

À época, a SES-DF, refutou a denúncia do SINDATE-DF e afirmou se tratar de “mais uma tentativa de desinformação movida por interesses corporativos contra a adoção de um modelo de atendimento na Atenção Primária”, o que levou alguns veículos da imprensa a sugerir que o SINDATE-DF, havia mentido sobre a pauta à mídia.

Em contato com Vianna, o sindicalista sugeriu que a médica fez o possível na ressuscitação de Dona Divina, assim como também o faz ao notificar a SES-DF sobre o problema.

“Infelizmente tivemos a morte da senhora na Equipe Saúde da Família São José, o que já havíamos preconizado que poderia acontecer, pela falta de estrutura. Não condenamos a dra. Luciana, que conforme já dissemos em diversas matérias ela fez o que podia, da forma que podia e com a estrutura que tinha para tentar salvar a senhora. A Dra. Luciana, fez a coisa certa pois sabe que as condições da estrutura lá não são adequadas a fazer atendimentos emergenciais.”.

Vianna também sugeriu a tentativa de macular a imagem do SINDATE-DF como ‘modus operandi’ do governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB) e do secretario de Saúde, Humberto Lucena Pereira da Fonseca, ao que chamou de manobra eleitoreira, ao se referir à reestruturação da Atenção Primária da Saúde do DF.

“Esse documento que você mencionou apenas demonstra, principalmente, o ‘modus operandi’ do senhor governador Rodrigo Rollemberg e do senhor secretário de Saúde do DF, que estão vendendo uma farsa à população, usando a mídia para nos difamar quando nós que estamos na ponta fazendo atendimento da população sabemos que essa falta de estrutura apenas tem aumentado as mortes evitáveis, algo que temos denunciado desde o ano passado. Essas reestruturação da Atenção Primária, essas portarias baixas pelo secretário de saúde, são manobras apenas eleitoreiras que deixam a população a mercê da própria sorte.”, desabafou.

O que diz a outra parte?

Procurado por PD, a SES-DF, até o momento da publicação da matéria, não retornou posicionamento sobre o caso.

5

Comentário