Opinião: Um governo tão fake quanto suas propagandas

68
Print Friendly, PDF & Email

Por Gutemberg Fialho

No início desta semana, ao falar sobre a ameaça das fake news à democracia em um seminário no Senado Federal, o diretor e documentarista Rodrigo Cebrian afirmou: “as notícias falsas constituem-se também de promessas falsas”. A frase imediatamente lembrou-me da atual situação do Distrito Federal e, em consequência, do governador Rodrigo Rollemberg, que busca, a todo custo, a reeleição.

E prova disso é a mais recente revelação feita pela imprensa local: “quase três meses após usar a ameaça do fatiamento de salários do funcionalismo para aprovar a reforma da Previdência, o GDF tenta liberar recursos do Iprev com o objetivo de financiar as mais variadas atividades”. O valor desses recursos é de nada menos do que R$ 1,2 bilhão. E as mais variadas atividades são o tal dever de casa que ele não fez/faz, do qual venho falando há três anos: “reconstrução de escolas, reforma em unidades de saúde e remanejamento da estrutura de secretarias-adjuntas.”

O problema, além do fato de que essas “variadas atividades” já deveriam ter sido realizadas em três anos de governo, é que esse dinheiro – R$ 1,2 bilhão – pertence única e exclusivamente à aposentadoria dos servidores públicos do Distrito Federal. Mas disso Rollemberg não fala. Em suas redes sociais e até na agência de notícias oficial de sua gestão não há qualquer comentário em relação à intenção de retirar verba da aposentadoria dos servidores para cobrir os gastos daquilo que já deveria ter sido feito. Porque, trocando em miúdos, essa é a verdade.

Só que Rollemberg não gosta de verdades. Ele só “trabalha” com o chamado ilusionismo político. É um governo de promessas falsas, que nada mais são do que discursos falsos e discursos falsos não passam de fake news e notícias falsas são, como bem lembra o seminário promovido no Senado, uma ameaça à democracia. E democracia não é o forte do nosso governador.

Publicidade

Mais uma vez, a exemplo do que vem ocorrendo nos últimos três anos, Rollemberg tentou ativar seu rolo compressor na Câmara Legislativa para aprovar a tal proposta que retiraria recursos da aposentadoria dos servidores do DF e financiar uma gestão que não foi feita até agora. Os hospitais estão caindo aos pedaços, os pacientes estão morrendo na fila do SUS, as unidades de Saúde estão sem médicos, não há segurança na cidade (nesta semana, um estudante da UnB foi assassinado em frente ao Buriti) e a educação pública vai de mal a pior.

Felizmente, a Câmara Legislativa vetou a tentativa de mais um saque milionário do Iprev. Mas, não se enganem, o governo das fake news continuará sua tentativa de nos iludir, com propagandas, discursos ensaiados e novas promessas que não serão cumpridas. Como até agora não foram.

* Gutemberg Fialho é médico e presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SINDMÉDICO-DF)
0

Comentário