Técnica em enfermagem denuncia sobrecarga de trabalho no Centro Obstétrico do Hran

106
Print Friendly, PDF & Email

Na manhã desta segunda-feira (11/12), a direção do Sindate recebeu uma denúncia por meio do programa que participa na Rádio OK 104.1 FM, Os Cabeças da Notícia, que tratava da sobrecarga trabalho no Centro Obstétrico (CO) do Hospital Regional da Asa Norte (Hran)

Após sair da rádio, a direção entrou em contato com a pessoa que fez a denúncia e foi ao Hran saber exatamente o que estava acontecendo no setor. Segundo relatos da equipe, o foco da única sala de cesárea está queimado há anos; o teto do CO está com goteiras e as salas que eram para ser individualizadas acomodam duas parturientes.

Além disso, na sala de medicação fica apenas uma técnica em enfermagem para fazer o atendimento, encaminhar os pacientes para os exames de laboratório, raio-X e parto. A recuperação que seria para no máximo duas mães e duas crianças, está com três binômios.

A direção do Sindate procurou a chefia imediata e a enfermeira que passou o relatório para o sindicato falou da falta de pediatras e neonatologistas, e explicou ainda que quem está pegando as crianças na hora que nascem e dando os primeiros cuidado é a enfermagem, e tecnicamente quem deveria fazer isso é o médico.

A enfermeira informou ainda que a demanda é muito grande no CO do Hran, além de atender toda a Asa Norte ainda atende, Cruzeiro, Estrutural, Varjão, Guará e Águas Claras.

Publicidade

Segundo o diretor do Sindate, Newton Batista esse mais um exemplo de como os trabalhadores se desdobram para fazer suas tarefas e cuidar da população, enquanto a Secretaria de Saúde se preocupa apenas com a quantidade de atendimento, os servidores são obrigados a trabalharem com o mínimo de recursos possível, escassez de materiais e falta de manutenção nos equipamentos.

“Infelizmente a Secretaria de Saúde não liga se o trabalhador executa suas funções sobrecarregado ou não, os números são o que importam, e com isso tanto a população quanto os trabalhadores sofrem com o descaso do governo” declara Newton Batista Diretor do Sindate.

Diante disso tudo, o Sindate espera que haja mais nomeações para que esse quantitativo possa realmente aumentar e as equipes comecem a trabalhar com um número adequados de servidores por período, e assim consigam prestar um atendimento mais digno.

Ascom Sindate-DF

0

Comentário