Comissão Geral da CLDF debate problemas da Atenção Primária à Saúde no DF

41
Print Friendly, PDF & Email

Por Evely Leão

Na tarde da quinta-feira (07/12), a Comissão Geral da Câmara Legislativa do DF realizou um debate para tratar da realocação dos médicos e dos problemas relacionados à Atenção Primária no DF. A Audiência foi viabilizada pela deputada Celina Leão (PPS) e contou com a participação de representantes de entidades sindicais, dos trabalhadores e dos usuários.

Mais uma vez a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), mandou os seus comissionados para assistir a assembleia, e impediu que parte dos trabalhadores participassem da audiência pública. A maioria dos expectadores presentes no debate realizado ontem (07/12) eram cargos comissionados da SES-DF, o qual faziam deboche, riam e viravam de costas quando os representantes de entidades sindicais ou os poucos servidores que estavam no Plenário iniciam suas falas.

Em diversos momentos os representantes da SES-DF faltaram com respeito com os servidores da saúde. Um deles foi quando um cargo comissionado da secretaria de saúde afirmou que o real motivo do debate, e a grande preocupação dos servidores, era porque iam haver perdas salariais.

O vice-presidente do Sindate-DF, Jorge Vianna criticou a ausência do Secretário de Saúde, Humberto Fonseca e pediu respeito da gestão para os servidores. “Eu não vou falar aqui de valores, porque nós não estamos brigando por dinheiro, nós estamos brigando por conquistas que há anos esses sindicalistas aqui conseguiram e que estão sendo retiradas, e vocês estão achando isso normal. Nós não podemos achar normal no Brasil perder direitos”, explica Vianna.

Publicidade

Novamente foi falado sobre as dificuldades que os trabalhadores estão tendo com a forma de implantação do modelo Estratégia Saúde da Família (ESF). Diversas vezes foi reiterado por todos os representantes de entidades sindicais, que não são contra o ESF, e sim a forma como a Secretaria de Saúde está implantando o modelo como a falta de estruturas das unidades de saúde, equipes incompletas por falta de profissionais e a falta de diálogo com os servidores.

Além disso, foi falado ainda sobre o quanto o atendimento na atenção primária seria prejudicado, nessas unidades que não possuem estruturas, para atender os usuários classificados como azul e verde.  Viana aproveitou a tribuna para falar sobre tentativa da secretaria de saúde de desfocar as mortes das pessoas e jogar a população contra os sindicatos. 01

O sindicalista citou também o caso recente da paciente que veio a óbito em São Sebastião, e afirmou que em momento algum o Sindate afirmou que não havia médico na unidade, e sim que as unidades não possuíam estruturas para atender emergências e que muitos trabalhadores já haviam reclamado que estavam tendo que fazer procedimentos sem a presença do profissional de nível superior.

“Nós fomos até a unidade para ouvir os trabalhadores que estavam reclamando de assédio moral por parte da gestão, chegando lá, a categoria informou ao sindicato que estavam sendo obrigados a realizar procedimentos sem a presença do profissional de nível superior. Nós solicitamos reunião com a superintendente da região leste, e até hoje nunca tivemos retorno”, ressalta Vianna.

Veja ao lado imagem da solicitação do pedido de reunião com a Superintendente da Região de Saúde Leste

08

A deputada Celina Leão agradeceu a participação de todos e ressaltou que ficou contente por seu gabinete ter sido requisitado, já que enquanto parlamentar se sente responsável em fazer alguma para ajudar os trabalhadores da saúde e os usuários. “Algo não está funcionando e a culpa com certeza não é dos servidores da saúde”, declarou.

Fonte: Sindate-DF

0

Comentário