HRSM: pacientes chegam a aguardar mais de seis meses internados para realizar cirurgias

Print Friendly, PDF & Email

O hospital tem apenas um anestesista de plantão em cada turno e cirurgias estão paradas

O deputado Rafael Prudente do PMDB realizou na última quinta-feira (9), mais uma vistoria na rede pública de saúde do DF. Desta vez o alvo da blitz de Prudente foi o Hospital Regional de Santa Maria. Inaugurado em 2007, o mais novo hospital público de Brasília apresenta problemas antigos e graves. Os pacientes estão revoltados com a falta de médicos e medicamentos.

No ambulatório, o deputado encontrou a fila de espera para consulta médica já do lado de fora do hospital. Muitos não foram atendidos e tiveram que procurar os centros de saúde por causa da falta de médicos.

Pacientes internados em corredores – Foto: Ascom Leonardo Prudente

“Nos corredores do hospital, a imagem do descaso. Vários pacientes estavam acomodados em macas porque não há leitos suficientes”.  De acordo com Rafael Prudente alguns pacientes estão esperando leitos acomodados nos corredores há mais de 90 dias.

Prudente constatou que o hospital tem apenas um médico anestesista trabalhando em cada turno, seriam necessários pelos menos três para a realização de cirurgias. “A fila de espera para cirurgias é extensa e alguns pacientes aguardam internados aqui há mais de 6 meses”, disse.

Rafael Prudente percebeu que as roupas de cama usadas no pronto socorro e na enfermaria são dos próprios pacientes.

“Roupas de cama e cobertas, a gente trás de casa. Esta noite estava frio, eu emprestei um cobertor e mesmo assim estão colocando gente pra dentro”, desabafou a paciente Kátia dos Santos

Os exames de raio x não estão sendo realizados porque a única impressora da unidade está quebrada.

O equipamento de endoscopia também não funciona, e segundo Rafael Prudente, os pacientes estão pagando até R$ 400,00 para fazer o exame em clínicas particulares.

Na farmácia, o deputado identificou a falta de medicamentos e materiais essenciais, como: antibióticos, vacinas, seringas, esparadrapo e outros

Já no almoxarifado Rafael encontrou encaixotado um aparelho de raio x odontológico. Ele está há mais de dois anos parado porque o computador necessário para ativação do equipamento está perdido em algum hospital da rede pública.

Rafael Prudente encaminhou relatórios da vistoria para o Ministério Público, Tribunal de Contas do DF e Secretaria de Saúde do DF.

O deputado propõe a realização de um “mutirão” com a convocação de médicos para a fazer horas extras e de médicos das Forças Armadas para acabar com as filas de cirurgias e normalizar o atendimento nos hospitais.

Fonte: Ascom Rafael Prudente

1