Enfermagem: Nota conjunta de esclarecimento: Coren-DF, SES e Sindenfermeiro

Print Friendly, PDF & Email

Entidades definem orientação conjunta sobre competência do enfermeiro em solicitar exames

O Conselho Regional de Enfermagem (Coren-DF), a Secretaria de Saúde (SES) e o Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal, reuniram-se nesta segunda-feira, 09 de outubro, a fim de definir uma orientação conjunta a respeito da competência do enfermeiro em solicitar exames. Essa atividade é alvo da liminar em ação judicial movida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) contra a Portaria 2.488/2011 do Ministério da Saúde. Com o objetivo de evitar dissonância no posicionamento de cada entidade e levar segurança aos profissionais de enfermagem e à população, o Coren-DF, a SES e o Sindenfermeiro esclarecem que:

1) O Distrito Federal tem política própria de atenção primária à saúde – Portaria SES-DF 77/2017, a qual não está subordinada à antiga (Portaria 2.488/2011) ou à nova Política Nacional de Atenção Básica (Portaria 2.436/2017) publicada pelo Ministério da Saúde. A política nacional norteia a normativa distrital;

2) A Portaria SES-DF 218/2012 regulamenta a prescrição de medicamentos e a solicitação de exames pelo enfermeiro que atua nos programas de saúde pública do DF. Essa norma está em consonância com a decisão judicial proferida pela 13ª Vara da Justiça Federal (processo 0026216-76.2013.4.01.0000/DF), que confirmou tal competência do enfermeiro resguardada em lei;

3) Nesse sentido, a Lei 7.498/1986 determina ser privativa de enfermeiro a consulta de enfermagem e a prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde;

4) Ainda, o artigo 3º da Portaria 218/2012 prevê que “a prescrição de medicamentos e a solicitação e exames complementares pelo enfermeiro deverão ser feitas em receituário/formulário padronizado da Secretaria de Estado de Saúde do DF, identificado com carimbo, número da inscrição do Coren-DF, nome completo do profissional e respectiva assinatura”;

5) Outra norma que respalda o exercício profissional do enfermeiro da atenção primária da rede pública, a Resolução 195/1997 do Conselho Federal de Enfermagem estabelece que compete ao enfermeiro a solicitação de exames de rotina e complementares, dentro dos protocolos assistenciais em vigência;

6) A decisão da 20ª Vara Federal, referente à ação movida pelo CFM, não impacta a eficácia da Portaria 218/2012 da Secretaria de Saúde;

Ante o exposto, conselho, secretaria e sindicato orientam que o enfermeiro pode desenvolver suas atribuições para requisitar exames no âmbito da atenção primária, bem como prescrever medicamentos conforme protocolos vigentes da Secretaria de Saúde. As entidades ressaltam ainda que a atuação coesa e alinhada dos profissionais que compõem a equipe multidisciplinar são a garantia do resultado das ações do Sistema Único de Saúde.

DANIEL SEABRA RESENDE DE CASTRO CORREA
Secretário adjunto de assistência da SES-DF

MARCUS VINICIUS QUITO
Subsecretário de Vigilância à Saúde da SES-DF

JOSETHE ROSE DA SILVA GONÇALVES
Diretora de enfermagem da SES-DF

LUCIANA MARTINS VERSIANI MOREIRA
Diretora de Áreas Estratégicas da Atenção Primária da SES-DF

LUCAS MARANI BAHIA DUCA
Diretor de Organização de Serviços de Atenção Primária da SES-DF

GILNEY GUERRA DE MEDEIROS
Presidente do Coren-DF

DAYSE AMARÍLIO DONETTS DINIZ
Presidente do Sindenfermeiro-DF

Fonte: Coren-DF

0