GDF quer matar servidor da Saúde, na unha? Ops, de fome?

Print Friendly, PDF & Email

A Secretaria de Saúde do DF analisa acabar com as refeições distribuídas aos servidores em refeitórios da rede pública, como em hospitais. A Controladoria-Geral do DF recomendou uma solução para a duplicidade no fornecimento do vale-alimentação – uma vez que os profissionais recebem o benefício em dinheiro e também comem, de graça, nas unidades.

Na última semana, a pasta chamou sindicatos de profissionais da saúde para discutir o assunto.

Para a presidente do SindSaúde (Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília), Marli Rodrigues, a medida não tem cabimento, pois os profissionais não têm como sair dos hospitais para comer. Ela afirma que o sindicato entrará na Justiça contra a suspensão das refeições, caso o GDF decida por isso.

“O governo tem que entender o que é refeição e o que é alimentação. Nós não trabalhamos em escritório, trabalhamos com pacientes que precisam de assistência 24h. Nós não podemos nos ausentar de hospitais. É uma proposta bem irresponsável”, argumenta.

“Uma coisa não tem nada a ver com a outra. O auxílio-alimentação é dado para todos os outros servidores do GDF. Só que, com aqueles que fazem plantão de 12h, que não tem horário de almoço, nada mais justo dar uma refeição”, afirma o vice-presidente do Sindate-DF (Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF), Jorge Vianna.

“Por exemplo, se eu estava em cirurgia que começava às 19h e acabava à 0h, eu saía do centro cirúrgico e ia no refeitório jantar. Imagina se eu tivesse que sair nesse horário para procurar um restaurante para comer?”, complementa.

Vianna conta que a categoria dos auxiliares e técnicos em enfermagem será a mais afetada, pois é a maior, uma vez que representa 14 mil dos 35 mil servidores da pasta.

“O impacto é muito grande na nossa categoria. A gente é que ganha menos e ‘carrega o piano’. Cada servidor se alimenta de duas a três vezes [quando estão em plantão] por semana nos refeitórios”, expõe.

Contraponto

Em nota, a Secretaria de Saúde do DF explica a auditoria da Controladoria-Geral do DF apontou que a duplicidade no pagamento do vale-alimentação é vedada pelo artigo 112 da Lei Complementar 840.

Assim, detalha a secretaria, a discussão foi iniciada com os sindicatos para, “de comum acordo, buscar um entendimento”.

“Toda a discussão feita pela Secretaria de Saúde segue no sentido de não desobedecer possível determinação legal nem trazer prejuízos aos seus servidores”, finalizou.

Fonte: Metro

0