“Mexeu com um, mexeu com todos”, afirma Joe Valle sobre retaliação de Rollemberg contra Reginaldo Veras

Print Friendly, PDF & Email

Veras condenou publicitação, por parte de Rollemberg, de troca de cargos por votos sobre reforma ma previdência do DF  

Por Kleber Karpov

Na quinta-feira (15/Set), o deputado distrital, Reginaldo Veras (PDT) voltou a usar a tribuna da Câmara Legislativa do DF (CLDF) para se contrapor a investidas do governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB). O motivo, as investidas do chefe do Executivo, em decorrência da negativa de Veras de votar favorável às mudanças no sistema previdenciário dos servidores públicos do DF. Ao término dos disparos, o presidente da CLDF, Joe Valle (PDT) ratificou que Rollemberg pode ter dado mais um ‘tiro no pé’.

No discurso Veras criticou a velha forma de fazer política de Rollemberg e condenou a atitude de Rollemberg de recorrer à imprensa para tornar público a troca de votos por apoio.

“É extremamente vergonhoso o que o governador está fazendo, indo a imprensa dizendo que demitiu fulanos e ciclanos do PDT porque eu não voto com ele. O nome disso é compra de voto por sessão de cargo. Isso é a coisa mais feia e condenável que a República brasileira vê nesse momento.”, disparou Veras ao enfatizar a prática da troca de cargos por benefícios por parte dos parlamentares. “Agora ele [Rollemberg] vem e assume, publicamente: – Eu troco votos por apoio, eu troco cargos por apoio, naquilo que eu acho correto.”, completou.

No plenário, Veras recebeu apoio do pedetista, Joe Valle, atual presidente da Mesa Diretora da CLDF. Em poucas palavras o chefe do Legislativo local mandou um recado à Rollemberg:

“E aí deputado Reginaldo Veras, tem uma coisa importante nos partidos. Nós somos do mesmo partido, nos votamos os mesmos processos e sempre votamos conjuntamente. Integramos o bloco Sustentabilidade e Trabalho. Aqui nesta Casa. Mexeu com um, mexeu com todos, conte comigo.”.

 

Entenda o caso

No decorrer da semana Rollemberg iniciou uma série de exonerações de servidores em cargo comissionado, indicados por Veras, por ter se posicionado contrário ao parecer do Projeto de Lei Complementar 122/2017, que muda o sistema previdenciário dos servidores do GDF, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da CLDF. O distrital também fez questão de publicitar e adiantar posição contrária na ocasião da apreciação do PLC no plenário, o que causou desconforto e a reação de Rollemberg.

Em entrevistas à imprensa, Rollemberg afirmou não haver sentido manter comissionados indicados por parlamentares da base do governo que votam em discordância com os interesses do Executivo.

As exonerações serviram como forma de mandar um duro recado e intimidar os deputados da base do governo, que mantêm cargos comissionados no Executivo, para que atendam as interesses de Rollemberg.

1