Salas vermelhas nos hospitais do Guará e no Hospital de Base podem ser fechadas

Print Friendly, PDF & Email

Em mais uma ação irresponsável, a Secretaria de Saúde vai condenar ao fechamento duas Salas Vermelhas nos hospitais de Base e do Guará. O fechamento será causado pelo corte da Gratificação de Atendimento Móvel de Urgência (Gamu) para servidores da área da saúde do GDF que prestam serviço no SAMU. A denúncia é do deputado Chico Vigilante.

“O secretário de Saúde do DF dá prova de que não entende de saúde. Uma quantia ínfima que será economizada em troca de milhares de pessoas que não terão atendimento”, alerta o deputado.

No Hospital de Base, o corte da gratificação vai acarretar no fechamento das unidades de Neurocardiologia e de Trauma. A sala de Neurocardiologia atende a pacientes graves vítimas de enfartes ou de acidentes vasculares cerebrais (AVCs). A unidade de trauma presta socorro para acidentados no DF e entorno. O HBDF é a referência para o socorro de traumatizados.

Os servidores estão preocupados com a continuidade do atendimento à população com o corte da gratificação. Para eles, o encerramento das atividades vai trazer precariedade no atendimento no Hospital de Base e aumentar mais ainda a incidência de mortes que poderiam ser evitadas. Em 2016 houve um aumento de mais de mil óbitos em comparação com 2015, a maioria de mortes evitáveis, segundo os servidores da saúde.

“É muito grave isso. É uma questão humanitária. São vidas que poderão ser ceifadas pela incompetência e pela irresponsabilidade de quem comanda a saúde do Distrito Federal”, avalia Chico Vigilante.

Salas Vermelhas
Criadas durante o Governo Agnelo Queiroz, as salas vermelhas são unidade semi-intensivas que prestam atendimento imediato a pacientes com graves riscos nas emergências de alguns hospitais públicos do DF.

Gerenciadas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e equipadas com equipamentos modernos, as salas vermelhas prestam atendimento imediato a pacientes em estado grave com risco de morte.

A equipe de plantonistas de cada sala vermelha é composta por dez profissionais, um cirurgião geral, dois enfermeiros e sete técnicos em enfermagem, com a possibilidade de expansão do quadro em decorrência da necessidade. O centro funciona 24h em integração com as equipes de rua do Samu.

Fonte: Chico Vigilante

0