Sindate e GDF reabrem negociações sobre os descontos de greve

Print Friendly, PDF & Email

Por Evely Leão

Na tarde desta quinta-feira (27/04) a direção do Sindate se reuniu novamente com a Casa Civil para tentar chegar a uma negociação em relação aos descontos de greve, referente ao movimento paredista realizado no período de 24 de outubro a 18 de novembro de 2016. Desta vez, bem mais distensionado, o governo concordou em analisar a proposta do sindicato sobre a devolução das horas negativas da greve.

Além disso, a direção colocou em pauta o parecer da Assessoria Jurídica-Legislativa da Secretaria de Estado de Saúde (AJL/SES) , que retira o direito dos servidores em usufruir o abono de ponto no ano de 2017, em razão da greve, além do retardamento da concessão da licença-prêmio na proporção de um mês para cada falta.

Os secretários presentes informaram a direção do Sindate que, havendo acordo, automaticamente serão retiradas as consequências negativas das faltas de greve. Mas tudo isso só será possível, caso a governança aceite receber essas horas negativas de greve da categoria.

Negociação

Para o vice-presidente do Sindate, Jorge Viana, o sindicato acha importante manter aberto esse canal de diálogo com o governo, independentemente do departamento jurídico do Sindate já ter entrado com as ações individuais para suspender os descontos nos contracheques.

A diretora de Assuntos Jurídicos do Sindate, Elza Reis Aparecida, está confiante em relação as ações ganhas até o momento, inclusive as demais que serão brevemente julgadas. “Hoje temos cerca de 70 liminares mandando o GDF suspender os descontos de greve sobre pena de multa diária do descumprimento da decisão”, declara.

Horas extras 

A direção do Sindate recebeu informações da Secretaria de Saúde, antes do fechamento desta matéria, que o pagamento das horas extras, referente a novembro de 2016, será depositado nesta quinta-feira (27/04), e que amanhã já estará na conta dos servidores.

Demandas do Sindate

Foi tema dessa reunião também, pontos que estavam em negociação durante o movimento paredista, como o plano de carreira da categoria, a mudança da nomenclatura, nomeação dos concursados, concessão das 40h para aqueles servidores que ainda fazem 20h semanais, entre outros.

Participaram da reunião, além da direção do Sindate, o secretário-adjunto da SES-DF, Dr. Ismael Alexandrino; o Subsecretário de Relações do Trabalho e do Terceiro Setor, Márcio Gimenes; a Assessora de Gestão Participativa e Relações Institucionais, Danielle Cavalcante e o Assessor Fabrício Moser.

Fonte: Sindate-DF

0