Servidores da Saúde reagem aos atrasos de horas extras, décimo terceiro e mudanças impopulares

Print Friendly, PDF & Email

Revoltados servidores prometem dar dor de cabeça ao secretário de saúde durante o carnaval

Por Kleber Karpov

Com atrasos de Horas Extras (HEs), servidores podem colocar na conta do governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB) e do secretário de Estado de Saúde do DF (SES-DF), Humberto Lucena Pereira da Fonseca, possíveis efeitos colaterais do Carnaval. Com os atrasos, desde setembro, do pagamento das HEs, além do 13o de janeiro, pago apenas na última semana.

O alerta foi recebido por Política Distrital, por servidor do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU-DF), que pediu sigilo sobre a identidade. Segundo o trabalhador, os profissionais da SES-DF atribuem, a demissão da secretária adjunta da Pasta, Eliene Berg ao anúncio do pagamento da HEs de agosto e setembro, no mês passado, o que não ocorreu.

“Agora o secretário veio em um evento falar que o dinheiro deverá ser utilizado para pagar a Sanoli [ empresa que fornece refeições hospitalar à SES-DF]. Mas nós sabemos que eles tem dinheiro. Pagaram as horas extras de agosto, para fazer charminho, e embolsaram as de setembro.”, disse ao alertar o perigo eminente.

De acordo com o servidor, “dessa vez”, além dos condutores e profissionais do SAMU-DF, os servidores estão se reunindo e prometem parar as “emergências dos hospitais, as UTIs [Unidades de Terapias Intensivas], as UPAs [Unidades de Pronto Atendimentos]. Até a ala de emergência do Hospital de Samambaia [HRSam], onde 80% da unidade funciona com Horas Extras podem ter os atendimentos totalmente comprometidos.”, disse.

Revolta

Segundo o servidor, além do atraso das Horas Extras, os profissionais de Saúde também estão revoltados com outras ‘iniciativas desastrosas’ impostas aos servidores. “Eles estão acabando com a Secretaria, com as reformulações em relação a tripulação do SAMU, a revisão e recadastramento das gratificações de titulação; o desmantelamento da Atenção Primária. Eles estão ferrando com a vida de nós servidores, mas temos nos reunido e vamos dar o troco.”, afirmou.

Insatisfação na rede

O clima de insatisfação dos servidores da Saúde podem extravasam os muros da SES-DF e pode ser facilmente percebido nas redes sociais e grupos de mensagens instantâneas. Na rede social Facebook, uma servidora reclama da insensibilidade do governo e reflete o sentimento de centenas de outros profissionais que tentam aumentar a receita com trabalho dobrado.

“Os Servidores da saúde aguardam o Pagamento das horas extras de setembro/16. Estamos há quase 6(seis) meses esperando, e novamente não tem previsão!!!!! Quanta falta de respeito com os profissionais que tem contas pra pagar e famílias para sustentar….. #GOVERNADORNOSPEGAMOSEMPRESTIMOS #FAÇAOMESMOGOVERNADOR!!!!!!!! #DIVIDASEIMPOSTOSNAOESPERAM (SIC)”.

Décimo Terceiro

O atraso do pagamento, também, do décimo terceiro salário, apenas serviu para aumentar a animosidade entre os servidores. Isso porque ao benefício que deveria ser pago aos aniversariantes de janeiro chegou com um mês de atraso. Com a iminência de não chegar aos de fevereiro, a irritação com o “descaso” do governo é geral. “Não podemos contar com as horas extras e agora também atrasar o pagamento do décimo terceiro? Nós não vamos tolerar.”, afirma outro servidor.

Mas no Carnaval…

O recado dos servidores é claro, se a SES-DF não efetuar o pagamento dos atrasados das HEs, antes do carnaval, Rollemberg e Fonseca vão ter que rebolar para conter os “efeitos colaterais” da folia. Isso porque, os trabalhadores “estão se articulando”e prometem, em massa, cumprir o prazo regimental e devolver as horas extras com 48 horas à data que antecede o feriadão.

 

Opinião

A revolta dos servidores às diversas ‘soluções’ apresentadas por Fonseca, somado ao calote de Rollemberg da incorporação das gratificações, apenas cria um clima mais hostil entre os profissionais de saúde e as reações podem ser as mais adversas, a exemplo do que prometem aqueles que deveriam ser tratados como colaboradores, atualmente, mais para capachos da gestão inconsequente de Fonseca com o aval de Rollemberg.

Porém, os comandantes da Saúde do DF parecem ignorar a terceira lei de Newton, que também se aplica as práticas sociais da reação e reação. Nesse contexto, a gestão da SES-DF parece se esquece que depende da capacidade profissional e, principalmente, da colaboração dos servidores para garantir o atendimento aos pacientes, com o mínimo de dignidade. Como diria o sábio: Paciência tem limite! E a dos servidores, Rollemberg e Fonseca esgotaram a tempos.

Mas, por enquanto…

Em relação ao pagamento das HEs, de acordo com a SES-DF “A Secretaria de Saúde informa que ainda não há previsão para o pagamento. A folha de pagamento das horas extras está empenhada, aguardando dotação orçamentária.”.

Atualização: 18/2/17 às 2h49 para correção de conteúdo

6

Kleber Karpov

@KleberKarpov Jornalista (MTB 10379-DF) Perfil Acadêmico e Profissional Graduado em Jornalismo pelas Faculdades Icesp no DF; Consultor em Tecnologia da Informação; Consultor em Marketing Político; Coordenador de Campanhas políticas ou institucionais; ex-Assessor Parlamentar na Câmara Federal; Diretor Administrativo da Associação Brasiliense de Blogueiros de Política; Projetos Pessoais e Sociais: Criador do projeto Quero Meu Carro de Volta (www.queromeucarrodevolta.com.br), lançado em 2012. Serviço de utilidade pública dedicado às vítimas de roubos e furtos de veículos em todo o país; Editor e Apresentador do telejornal Quero Meu Carro de Volta, veiculado pela TV Gênesis, em todo o Brasil, Argentina, México, Espanha e parte dos EUA. Envie sua sugestão de pauta: Whatsapp: (61) 9606-2984 E-Mail: karpovls@gmail.com

Você pode gostar...

Comentário