SindMédico questiona gastos do GDF, de R$ 88 milhões, em publicidade

Print Friendly, PDF & Email

Milhões em publicidade do GDF para disfarçar o caos da gestão Rollemberg

Nos hospitais e unidades públicas de saúde do Distrito Federal, o cenário é cada dia mais desumano. Falta de profissionais, medicamentos, equipamentos, roupas, lençóis, comida, ar-condicionado e até água. Enquanto isso, o Governo do Distrito Federal (GDF) gastou nada menos do que R$ 87,7 milhões em publicidade em 2016. É isso mesmo: R$ 87,7 milhões. O valor é 68,9% maior que o de 2015.
As informações são do portal Metrópoles, que chegou a questionar o governo de Rodrigo Rollemberg acerca das despesas. A resposta? “A publicidade realizada pelo governo de Brasília é de utilidade pública e de prestação de contas das ações governamentais”. Isso, vale lembrar, dois dias depois de ter faltado água na UPA de Ceilândia sem qualquer justificativa à população e/ou aos profissionais da unidade.
Além disso, em todo o ano passado o GDF fez questão de dizer por diversas vezes que estava com déficit no caixa, o que impossibilitou, entre outros investimentos necessários à população, o pagamento do reajuste aos servidores. No fim do ano, a gestão de Rollemberg chegou, inclusive, a ameaçar, mais de uma vez, o pagamento dos salários em dia, recorrendo, em novembro, ao Instituto de Previdência dos Servidores do DF (Iprev) para fechar a folha de pagamento.
“Utilizar quase R$ 88 milhões em propaganda é brincar com a população. Um dinheiro que poderia ter sido investido em saúde, educação e segurança. Mas, como dizemos desde o início deste governo, não há projeto. Não há proposta. Por isso, vamos, mais uma vez, cobrar uma postura do governo. Os profissionais de saúde estão adoecendo sem o mínimo para trabalhar, sem água. A população está morrendo nos hospitais; mortes que são evitáveis”, afirmou o presidente em exercício do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal (SindMédico-DF), o vice-presidente, Carlos Fernando.
Também na nota enviada ao Metrópoles, o GDF afirmou que “as opções políticas de investimento em torno dos valores a serem gastos em publicidade em 2016 são ditadas, portanto, pela necessidade de o governo de Brasília se comunicar com a sociedade”. O que, na avaliação de Carlos Fernando, é “uma piada de muito mau gosto”.
“Comunicar-se com a sociedade, acreditamos, é buscar soluções para o caos que o Distrito Federal vive hoje. Comunicar-se com a sociedade é ouvir os apelos dos sindicatos. É dialogar frente a frente. É investir em saúde, educação, segurança. O que Rollemberg e sua equipe fazem é usar o dinheiro público sem responsabilidade. E isso, garanto, não vamos admitir”, destacou Carlos Fernando.
Veja no vídeo abaixo o que poderia ser comprado com R$ 87,7 milhões, entre alguns itens da vasta listas de medicamentos, materiais e equipamentos que faltam nos hospitais e unidades públicas de saúde do DF.

Fonte: SindMédico-DF

0

Kleber Karpov

@KleberKarpov Jornalista (MTB 10379-DF) Perfil Acadêmico e Profissional Graduado em Jornalismo pelas Faculdades Icesp no DF; Consultor em Tecnologia da Informação; Consultor em Marketing Político; Coordenador de Campanhas políticas ou institucionais; ex-Assessor Parlamentar na Câmara Federal; Diretor Administrativo da Associação Brasiliense de Blogueiros de Política; Projetos Pessoais e Sociais: Criador do projeto Quero Meu Carro de Volta (www.queromeucarrodevolta.com.br), lançado em 2012. Serviço de utilidade pública dedicado às vítimas de roubos e furtos de veículos em todo o país; Editor e Apresentador do telejornal Quero Meu Carro de Volta, veiculado pela TV Gênesis, em todo o Brasil, Argentina, México, Espanha e parte dos EUA. Envie sua sugestão de pauta: Whatsapp: (61) 9606-2984 E-Mail: karpovls@gmail.com

Você pode gostar...

Comentário