Registrado primeiro caso de microcefalia por zika vírus contraído no DF

40
Print Friendly, PDF & Email

Criança, do sexo feminino, nasceu em outubro no Hran

Por Idelson Alan

Após a realização de uma extensa bateria de exames clínicos, laboratoriais e de imagem, submetidos a um comitê multiprofissional da Secretaria de Saúde, foi confirmado o primeiro caso autóctone (ocorrido a partir do próprio local) de microcefalia por zika vírus no Distrito Federal. A criança nasceu em outubro e está sendo acompanhada pelo Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), Centro de Saúde da Asa Norte e Hospital Sarah Kubitscheck.

“No processo de investigação epidemiológica constatou-se a presença do zika vírus na corrente sanguínea da criança, comprovando a contaminação intrauterina. Além disso, a mãe relatou um quadro febril, com tosse e erupções cutâneas (exantemas) por aproximadamente quatro dias no primeiro trimestre da gravidez e declarou não ter se ausentado no DF durante todo o período da gestação”, esclarece Rodrigo Miranda, gerente de Epidemiologia de Campo da Subsecretaria de Vigilância à Saúde.

Apesar da grande repercussão dos casos de microcefalia vinculados ao zika vírus, essa patologia pode ser ocasionada por diversos outros agentes, como por exemplo a sífilis e a toxoplasmose. No DF, são registrados anualmente entre de seis a 10 casos da doença.

Desde novembro de 2015, houve avaliação de 65 casos suspeitos, mas apenas três foram relacionados ao zika vírus, sendo dois contraídos fora do Distrito Federal.

Publicidade

Gravidez e Zika

Em abril, no Hospital Regional de Samambaia, uma gestante que havia contraído zika teve a gravidez interrompida no segundo trimestre. Na época, houve suspeita que a morte do feto tinha ligação com a microcefalia, mas os exames confirmaram que a causa da morte foi por complicações decorrentes do quadro hipertensivo apresentado pela mãe. Este caso, portanto, não é contabilizado como relativo ao zika vírus.

Fonte: Agência Saúde DF

0

Comentário