“Aqui ninguém mexe”: Gestor retorna ao Hospital da Criança de Brasília

Print Friendly, PDF & Email

Retorno de Renilson Rehem divide opiniões de funcionários do HCB após Ministério Público conseguir afastamento de gestor por 90 dias

Por Kleber Karpov

Na sexta-feira (2), funcionários do Hospital da Criança de Brasília José de Alencar (HCB) ficaram divididos com a notícia do retorno do gerente-executivo do Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (ICIPE), Renilson Rehem de Souza, responsável pela gestão do HCB. O Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) suspendeu decisão liminar de afastamento de Rehem, por 90 dias, da gestão da unidade.

Dentro do HCB, a decisão da desembargadora Carmelita Brasil dividiu opiniões. De acordo com fonte de Política Distrital, servidores favoráveis ao retorno de Rehem, retumbaram o som desafiante “aqui ninguém mexe”, mas outros lamentaram o que consideram “a continuidade do regime escravocrata”.

Rehem tentou no mesmo pedido ao TJDFT, o retorno ao assento dos conselheiros do Conselho de Saúde do DF (CSDF), porém, o gestor do HCB não obteve êxito na reivindicação.

Embora figure em uma, e o ICIPE em duas ações do MPDFT, em entrevista ao Metrópoles, Rehem afirmou não haver justificativa para o afastamento pois não há acusação contra o gestor.

Entenda o caso

O pedido de afastamento foi provocado pelo Ministério Público de Contas do DF (MPC-DF), vinculado ao Tribunal de Contas do DF (TCDF). Após acatar as denúncias o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) ajuizou ação contra ex-gestores da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) e do ICIPE, incluindo Rehem. Isso após encontrar irregularidades denunciadas pela Comissão Parlamentar (CPI) da Saúde na Câmara Legislativa do DF (CLDF).

Rehen é diretor-executivo do ICIPE, Organização Social (OS) responsável pela gestão do HCB, além de presidir, também, Instituto Brasileiro de Organizações Sociais de Saúde (IBROSS), que agrega 19 Oss em todo país.

Da Redação

0