30 mil pessoas aguardam atendimento na saúde do DF. Mas, e no Hospital da Criança?

Print Friendly, PDF & Email

Um sonho, mas para poucos. Embora sem parecer por parte da Secretaria de Saúde sobre regulação no Hospital da Criança de Brasília, Política Distrital, identificou caso de quase um ano e meio de espera para atendimento na unidade 

Por Kleber Karpov
13620748_1062640420488369_2749528742650580214_n

Informação circula em redes sociais e grupos de aplicativos mobile

Um dado alarmante circula nas redes sociais. A existência de 9 mil crianças que, supostamente, aguardam atendimento no Hospital da Criança de Brasília José de Alencar (HCB). Essa informação é sustentada pela presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde do DF (SindSaúde-DF), Marli Rodrigues, durante a oitiva na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde do DF, na Câmara Legislativa do DF (CLDF)(21/Jul). Política Distrital questionou os números junto a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) para confirmar tais dados, mas…

O Blog perguntou, especificamente, qual é a quantidade de usuários do Sistema Único de Saúde do DF (SUS-DF) que aguarda atendimento na fila de Regulação do HCB, hospital gerido pelo Instituto do Câncer e Pediatria Especializada (ICIPE), organização social (OS) responsável pela administração do HCB. Por meio da Assessoria de Comunicação (Ascom), a Secretaria de Saúde se limitou a apresentar dados, não menos alarmantes, sobre o atendimento total na rede de saúde pública do DF.

A Secretaria até lembrou que “a regulação de consultas é feita pela pasta e o atendimento nas unidades segue uma classificação de quadro clínico em que o mais grave tem prioridade e é encaminhado ao primeiro hospital que tiver vaga disponível para atendimento.”, mas nada de reposta.

30 mil aguardam consultas

No entanto, de acordo com a SES-DF, 30 mil pessoas, aguardam atendimento na rede pública de saúde. O número é alarmante e representa aproximadamente 1% da população do DF, ao se levar em consideração a população estimada do DF, para 2015, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística é de 2,91 milhões de pessoas. Ainda de acordo com a SES-DF, o tempo de espera aos pacientes que aguardam na fila do Sistema de Regulação (SISREG) da Secretaria, pode chegar a 1.000 mil dias.

Hospital da Criança

Com relação a fila de atendimento no HCB, a SES-DF se limitou a afirmar que a realidade do hospital é menor onde as pacientes são atendidos em 30 dias, em algumas especialidades. Mas, infelizmente, esse parece não ser o caso do bebê Ghael Davi, com dois meses, filho Alexandro Santos de Andrade Pereira, auxiliar administrativo, 28 anos, e da designer de interiores, Adriana Correia da Cunha, 34 anos, caso abordado por Política Distrital em matéria intitulada Hospital da Criança é modelo de OSs, mas para o pequeno Ghael, não (20/Jul). A criança tem um filho em estado crítico, de acordo com a própria SES-DF.

Com sequelas em decorrência do parto no HRSM, um quadro clínico grave, com indicação vermelha na classificação e riscos, de acordo com a própria SES-DF, cadastro nº 171306087 no SISREG, para atendimento em neuropediatria, Ghael vive à mercê da sorte e da alternância entre desespero e carinho dos pais.

Sem-Título-1 (1)

Um ano e meio de espera na regulação do HCB

Outro caso, menos grave, também chegou ao conhecimento de Política Distrital. A pequena Ana Beatriz, de 3 anos e meio, filha de Ana Paula, moradora de Riacho Fundo I, passou por duas consultas. Em ambas as consultas A mãe da criança recebeu encaminhamento para tratamento com um endocrinologista no HCB, com hipótese diagnóstica de gigantismo, prioridade amarela, na classificação de risco, que indica urgência no atendimento.

O primeiro em 8 de fevereiro de 2015 e o segundo, mais recente, no dia 6 de junho desse ano. Nesse caso, a espera de vaga para atendimento, após a inscrição da pequena no SISREG é de quase um ano e meio para uma consulta no HCB ou ainda em outra unidade de Saúde da SES-DF.

1

2

Resposta da SES-DF, na íntegra

“A Secretaria de Saúde informa que a regulação de consultas é feita pela pasta e o atendimento nas unidades segue uma classificação de quadro clínico em que o mais grave tem prioridade e é encaminhado ao primeiro hospital que tiver vaga disponível para atendimento.

A Saúde de Brasília informa, ainda, que a fila de espera pelas consultas em toda a rede contém 30 mil pessoas. Contudo, o tempo de espera é menor no Hospital da Criança. Em algumas especialidades, este prazo é de somente 30 dias. Na rede, pode ultrapassar 1 mil dias, realidade que está sendo enfrentada por esta gestão para ser reduzida.

A pasta destaca que tem expandido, gradativamente, a assistência por meio do Hospital da Criança. Em dezembro de 2011, por exemplo, foram atendidas 297 crianças na neurologia. No mesmo período de 2015, este número saltou para 838, o que representa um crescimento de 282%. A onco-hematologia, por sua vez, em 2014, teve 883 atendimentos, enquanto em 2015 chegou a 959.

A Secretaria de Saúde esclarece que tem trabalhado para melhorar o acesso da população às consultas ambulatoriais.”

Porteira fechada

Além de não receber pacientes de emergência, vale observar que a única forma possível de os usuários do SUS-DF conseguir atendimento ambulatorial no HCB é por meio de encaminhamento das unidades de saúde do DF, devido a regulação do SISREG. Ao que tudo indica, o HCB, referência em tratamento de câncer para crianças, é um sonho, mas apenas para quem consegue entrar.

Política Distrital, aguarda posicionamento da SES-DF sobre a quantidade real de crianças que aguardam atendimento no HCB por meio do SISREG. Mas ao que tudo indica, o governador, Rodrigo Rollemberg (PSB) que faz questão de sugerir que o Hospital da Criança é um referencial em gestão por meio de OSs, talvez se esqueça de mencionar que por trás de tanto sucesso, apenas uma parcela limitada de crianças que realmente necessitam, de fato consigam tratamento naquela unidade.

0

Kleber Karpov

@KleberKarpov Jornalista (MTB 10379-DF) Perfil Acadêmico e Profissional Pós-Graduando em Auditoria em Serviços de Saúde (ICESP-DF) Graduado em Jornalismo (ICESP-DF); Ciências Políticas (Veduca/USP); Consultor em Tecnologia da Informação; Consultor em Marketing Político; Coordenador de Campanhas políticas ou institucionais; ex-Assessor Parlamentar na Câmara Federal; Vice-Presidente da Associação Brasiliense de Blogueiros de Política (ABBP); Projetos Pessoais e Sociais: Criador do projeto www.queromeucarrodevolta.com.br (2012), para vítimas de roubos e furtos de veículos; Editor e Apresentador do telejornal Quero Meu Carro de Volta Apresentador do Panorama Político (Rádio Federal) Envie sua sugestão de pauta: Whatsapp: (61) 99606-2984 E-Mail: karpovls@gmail.com

Você pode gostar...

Comentário

1 Resultado

  1. 16 de junho de 2017

    […] O promotor, defendeu que o parecer do MPDFT é técnico, ao mesmo tempo em que mencionou o Hospital da Criança José de Alencar (HCB) como exitoso, porém, sem mencionar que, excelência de atendimento à parte, a unidade gerida por uma OS, tem várias representações do próprio, e de outros órgãos de controles, além de uma fila de regulação, admitida pela SES-DF, de cerca de 20 mil crianças que aguardam, algumas há mais de dois anos, por tratamento no HCB. […]