Nomeação de soldado da PM como secretário adjunto da Sejus fere a lei

42
Print Friendly, PDF & Email

Decisão contraria decreto de Rollemberg que obriga militares a terem oito anos na força antes de poderem ser cedidos a outros órgãos para ocupar cargos comissionados. Soldado é filho do ex-administrador de Águas Claras, chefe de gabinete da distrital Sandra Faraj

Por Carlos Carone

A nomeação de um policial militar como secretário-adjunto da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) é a mais nova dor de cabeça que o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) tem no primeiro escalão da administração local.

0

Comentário