Saúde permanece sem previsão de novas nomeações, mas elas devem acontecer

23
Print Friendly, PDF & Email

Secretaria de Saúde aposta no rejuvenescimento da força de trabalho com nomeação de novos servidores. Mas projeto deve ser aprovado por Governança do GDF

Por Kleber Karpov

Política Distrital questionou a Secretaria de Estado de Saúde (SES-DF) sobre a existência de previsão de novas convocações de concursados. O questionamento ocorre por força de provocações de profissionais de Saúde que aguardam nomeações, após lerem matéria publicada do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Brasília (SindSaúde-DF).

Em documento disponibilizado pelo Sindicato, produzido pela SES-DF, são apontados a previsão de nomeação de 1216 novos servidores. Desses, 153 enfermeiros, 155 técnicos administrativos, 142 técnicos em saúde, 124 auxiliares em saúde, 2 cirurgiões dentistas, 147 médicos e 493 técnicos em enfermagem.

fotos2

Publicidade

Por meio da Assessoria de Comunicação (Ascom) da SES-DF: “Não há previsão de nomeações para os próximos dias.”.

“Muita calma nessa hora”

O Blog observa no entanto que a SES-DF tem se reunido com as entidades sindicais e que, sob essa ótica, é natural que divulguem as reivindicações e as posições dos gestores em relação aos pleitos. Mais que isso, as nomeações e ampliações da jornada de trabalho podem acontecer, caso haja aprovação da Governança,  órgão do GDF composto pela Casa Civil e as as secretarias de Planejamento [Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag)] e de Fazenda [Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz). Apenas, por enquanto, ainda não há previsão de quando.

 E as nomações?

Em 14 de abril, Política Distrital entrevistou a subsecretária de Gestão de Pessoal (Sugep) da SES-DF, Flavia Cáritas Mendonça Gondim do Nascimento, após reunião da deputada distrital, Celina Leão (PPS), com profissionais de nutrição que aguardam nomeação, na Secretaria.

Na ocasião o Blog questionou o projeto de  redução do banco de Horas Extras (HEs) que deve gerar uma economia, mensal, de R$ 4 milhões, se houver aprovação por parte da Governança. Isso porque a informação publicitada por Humberto Fonseca, secretário de Saúde é que parte desse montante deve ser utilizada para nomeações de novos servidores.

Com déficit de 30 mil horas de força de trabalho em todas as categorias, somente em 2015, Flávia Cáritas afirmou que projeto de enxugamento de HEs e ampliação da jornada de trabalho permitirá nomear e renovar a faixa etária dos servidores da SES-DF.

“Por que a gente está usando a alternativa de nomeação e ampliação? Uma forma de  gratificar aquele servidor que está comprometido ali dando o sangue, porque não deixa de ser um benefício para o servidor, que há muito tempo pleiteia a ampliação de jornada e não vai ser só ela porque  a gente precisa rejuvenescer a nossa força de trabalho. Então a gente também traz esses concursados que estão esperando, aguardando que chegam com gás e vão realmente contribuir com a Secretaria e com a população e renova a nossa força de trabalho.“

O Blog questionou se há um estudo em que define um percentual dentro dos R$ 4 milhões a ser economizado pela SES-DF com o enxugamento das HEs. Flávia Cáritas confirmou que sim e explicou que o projeto, naquele momento, ainda não fora encaminhado à Governança. Porém, Câritas disse não lembrar com precisão quanto dos recursos economizados deveriam ser utilizados para nomeações de novos servidores, mas que deveria ser algo próximo a 50%, ou seja, R$ 2 milhões.

“Eu sei que deu entorno de quase meio a meio [50%]. O que a gente tentou, aquelas categorias com a média de idade um pouco mais alta a gente tentou nomear, admitir um pouco mais né, para tentar começar mesmo esse rejuvenescimento da força de trabalho.”.

0

Comentário