Mais 19 casos de H1N1 confirmados no DF

10
Print Friendly, PDF & Email

Boletim epidemiológico divulgado na sexta-feira (15) informa que Santa Maria é a região com maior incidência de contaminados. Vacinação para grupos prioritários começa na segunda (18)

Por Gabriela Moll

Ao contrário do informado anteriormente, o DF tem 45 confirmações de H1N1, e não 35. Este número refere-se somente aos casos mais graves. Sendo assim, a diferença da semana passada — quando havia 26 — para esta é de 19 ocorrências comprovadas a mais, e não de nove.

De acordo com boletim epidemiológico divulgado na sexta-feira (15) pela Secretaria de Saúde, há no Distrito Federal 183 suspeitas de contaminação pelo vírus da gripe H1N1 em 2016. Dessas, 45 — contra 26 na semana passada — foram confirmadas. Entre os casos mais graves, seis são pacientes menores de 5 anos; dois, adolescentes de 15 a 19 anos; 22, adultos de 20 a 59 anos; e cinco, pessoas maiores de 60 anos. Sete estão gestantes e nove, internados (sete destes em unidade de terapia intensiva). Além desses, há outros dez menos graves.

Segundo o informativo, ocorreram mais duas mortes em adultos, mas ambas ainda são investigadas. Até a semana passada, haviam sido registradas três causadas pelo vírus — de moradoras de Águas Claras, do Paranoá e de Vicente Pires. Uma delas tinha mais de 60 anos e as outras duas estavam na faixa etária de 25 a 59 anos.

Publicidade

Santa Maria foi a região administrativa em que houve maior incidência de casos até agora: sete. Asa Norte e Taguatinga seguem em destaque, com seis e quatro contaminações, respectivamente.

Vacinação
A partir de segunda-feira (18), serão vacinadas contra H1N1 crianças de 6 meses a 5 anos, gestantes, mulheres que deram à luz há até 45 dias e trabalhadores de saúde das redes pública e privada. A imunização contra o vírus poderá ser recebida em qualquer centro de saúde da rede pública, das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal já havia antecipado o início da vacinação para cinco dias antes da campanha nacional, que começa em 30 de abril. No entanto, decidiu reduzir ainda mais a espera, porque negociou com o Ministério da Saúde e recebeu, na semana passada e no início desta, 260 mil doses da vacina. Elas foram armazenadas no Parque de Apoio da secretaria, no Setor de Indústria e Abastecimento, para serem distribuídas às 15 coordenações regionais de saúde do DF e repassadas aos centros de saúde.

Até o dia 30, o Distrito Federal contará com cerca de 620 mil doses para atender, segundo estimativa da secretaria, 609 mil pessoas. De acordo com a pasta, a primeira parcela da população a ser vacinada totaliza 295 mil pessoas.

Também fazem parte do público-alvo que será imunizado: pessoas com mais de 60 anos, povos indígenas, população carcerária e internos do sistema socioeducativo, funcionários do sistema prisional e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais. Aqueles que têm alergia severa a ovo não devem ser vacinados antes de procurar um médico.

Sintomas
A influenza — ou gripe, como é conhecida — é uma doença viral, altamente transmissível. Ela afeta, principalmente, nariz, garganta, boca, brônquios e, ocasionalmente, pulmões. Os sintomas mais comuns são febre acima de 37,8 graus, calafrios, mal-estar, dores no corpo, dor de garganta, prostração, coriza e tosse seca.

A infecção dura cerca de uma semana e a transmissão ocorre entre as pessoas por meio das vias respiratórias. Para prevenir a doença, deve-se higienizar bem as mãos, evitar levá-las à boca, nariz e olhos, evitar aglomeração, usar lenços descartáveis, não compartilhar objetos de uso pessoal (como talheres), manter os ambientes ventilados, evitar contato próximo com pessoas que apresentem sintomas de gripe e aglomerações e ambientes fechados, e procurar um médico se apresentar os sintomas.

Quem perceber sintomas de gripe deve procurar as unidades básicas de saúde da rede.

Remédio
Além da vacina, o Ministério da Saúde é responsável por distribuir a medicação para combate à doença, o remédio antiviral Oseltamivir, que se chama Tamiflu comercialmente. O Distrito Federal tem em estoque 15 mil comprimidos do medicamento.

Dezesseis unidades de saúde pública oferecem o Tamiflu também para pacientes da rede privada:

Centro de Saúde nº 11 de Brasília
Centro de Saúde nº 6 de Brasília (Adolescentro)
Centro de Saúde nº 1 de Brazlândia
Centro de Saúde nº 4 de Ceilândia
Centro de Saúde nº 5 do Gama
Centro de Saúde nº 1 do Guará
Centro de Saúde nº 2 do Núcleo Bandeirante
Centro de Saúde nº 1 do Paranoá
Centro de Saúde nº 1 de Planaltina
Centro de Saúde nº 2 do Recanto das Emas
Centro de Saúde nº 4 de Samambaia
Centro de Saúde nº 2 de Santa Maria
Centro de Saúde nº 1 de São Sebastião
Centro de Saúde nº 1 de Sobradinho
Centro de Saúde nº 2 de Taguatinga
Farmácia ambulatorial do Hospital de Base

Acesse a íntegra do boletim epidemiológico.

0

Comentário