Auxiliares e técnicos em enfermagem param Saúde a partir de quarta-feira (7)

23
Print Friendly, PDF & Email

Semana promete o caos para o governador de Rodrigo Rollemberg (PSB) no que depender do funcionalismo público do DF. Isso devido uma sucessão de paralisações que podem iniciar um ciclo de greves, sem precedentes, no Distrito Federal.

Após a paralisação dos bancários, na manhã de terça-feira (6/Out), coordenada pelo Sindicato dos Bancários do DF (Bancários-DF), o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF) avisa que a enfermagem deve cruzar os braços na quarta-feira (7/Out). No dia seguinte (8/Out), o Movimento Unificado em Defesa do Servidor Público formado por 17 sindicatos realizam assembleia geral na praça do Buriti e podem aderir fechar o cerco contra o GDF.

Embora o GDF tenha depositado os salários nesta terça-feira (6), cerca de 130 mil servidores públicos cobram o pagamento dos reajustes que incorporaram gratificações aos salários, concedidos pelo ex-governador, Agnelo Queiroz (PT). Os trabalhadores cobram ainda pagamentos em atraso, a exemplo das horas-extras dos profissionais de Saúde; Reajuste relativo a redução de carga horária aos servidores da Saúde; Reajuste dos orientadores da Carreira do Magistério Público do DF; Dos pagamentos das Licenças-prêmios, entre outros.

Outro item que entrou na pauta de reivindicações das entidades sindicais é a garantia de ressarcimento de cerca de R$ 1,2 bilhões do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (IPREV). O recurso foi transferido após votação e aprovação de Projeto de Lei, na Câmara Legislativa do DF (CLDF), de modo a permitir que o GDF pudesse efetuar o pagamento dos servidores.

Sindate explica
O vice-presidente do Sindate-DF, Jorge Vianna, explica que além de o agravante do não pagamento do reajuste, outras categorias da saúde tiveram as cargas horárias reduzidas de 24 para 20 horas semanais, há alguns anos. Segundo Vianna esse benefício foi concedido aos auxiliares e técnicos em enfermagem somente em 2014, e essa diferença da redução de carga horária deveria ser paga pelo GDF.
De acordo com Vianna: “A deliberação da categoria no último dia 24 foi de parar, automaticamente, caso no pagamentos até o quinto dia útil de outubro, não constassem esses recursos em nosso contracheque. Nesse caso, a menos que os valores devidos caiam na conta até a meia noite de hoje, amanhã, automaticamente os auxiliares e técnicos em enfermagem estarão em greve, uma vez que pagamento já saiu, porém sem as 20 horas, que não foram pagas.”, afirmou Vianna.

Publicidade

Concentração na quinta-feira
Embora os servidores entrem em greve na quarta-feira (7/Out), não vai ocorrer assembleia ou mobilização nessa data. Isso porque, na quinta-feira (8/Out), os profissionais de enfermagem devem se concentrar na Câmara Legislativa do DF (CLDF). Vianna explica: “Como haverá a concentração de servidores de todas as categorias do GDF na quinta [8/Out], no Palácio do Buriti, o Sindate vai disponibilizar ônibus nas regionais de saúde e faremos nossa concentração na Câmara Legislativa às 10 horas e em seguida nos uniremos aos demais servidores do GDF no Buriti.“, explicou Vianna.

GDF adia reunião com sindicalistas
A equipe de governo negocia os representantes das entidades sindicais uma saída para evitar a onda e greves adiou para, quarta-feira (7/Out), uma reunião incialmente agendada para a manhã desta, terça-feira (6/Out). Isso após ter proposto (1º/Out) o pagamento do reajuste aos servidores, apenas para Maio de 2016.

O que funcionará nas unidades de saúde

quadro

Acompanhe o vídeo do Sindate

 

Atualização 06/10/2015 às 22h38

 

1

Comentário