O pacote fiscal do GDF é justo? Quatro distritais respondem

13
Print Friendly, PDF & Email

Por Fred Lima

Apelidado de “pacote da maldade”, o pacote fiscal do governo Rodrigo Rollemberg, criado com o propósito de sanear as contas públicas do DF, vem gerando controvérsias no meio político e jornalístico. Na Câmara Legislativa, quatro deputados distritais responderam ao blog se o pacote é justo ou não, uma vez que a população será penalizada com as medidas duras contidas nele. Vejam as respostas:

Cristiano Araújo (PTB): “O país todo passa por uma crise nacional. Gastou-se mais do que se arrecadou, e aconteceu também em Brasília.  A princípio sou contra qualquer aumento de imposto por causa da fase em que o país atravessa. Porém, cada caso é um caso e precisamos avaliar primeiro o pacote para dar uma resposta”.

Reginaldo Veras (PDT): “Vamos ter que escolher entre dois vieses. O primeiro é aumentar os impostos para que os servidores públicos tenham aumento agora, e passarmos esse prejuízo para a população… Ou não aumentamos os impostos, não passamos o prejuízo para a população e os servidores públicos de algumas categorias só terão aumento no ano que vem. Vai ser necessária uma boa negociação na Casa para que a população seja minimamente impactada.”

Ricardo Vale (PT): “O governo tem a receber de dívida ativa quase 17 bilhões. Se Rollemberg tivesse feito um esforço desde o início de sua gestão, teria arrecadado R$ 3 bi, e não estaria impondo esse pacote em cima da população.”

Publicidade

Rodrigo Delmasso (PTN): “O Estado está doente. Vai ter que dar o remédio, mas precisa verificar qual a dose correta. Se der uma dose maior que o necessário, pode piorar a doença, ou seja, não resolver o problema. O pacote que o governo encaminhou vai precisar de uma ampla discussão com a sociedade, e o fruto dessa discussão deve ser desonerar a população do DF, isto é, aplicar o remédio certo, na quantidade certa e na hora certa”.

Fonte: Blog do Fred Lima

0

Comentário