‘Pau no Gato’ de Mino atinge em cheio Robério Negreiros e Cristiano

47
Print Friendly, PDF & Email
Por Elton Santos

Muito grave. Não há outra definição que se possa utilizar para classificar as denúncias feitas pelo jornalista Mino Pedrosa em seu programa matinal e diário, Retrato Falado, onde ele mostra a Brasília como ela é. Notas fiscais, segundo ele, teriam sido fraudadas por deputados distritais para possibilitar que eles recebam restituições de locações e abastecimento de carros.

No epicentro do problema estariam os distritais Robério Negreiros e Rafael Prudente, ambos do PMDB, e Cristiano Araújo (PTB).

No menor dos problemas está a diferença na hora da prestação de contas dos deputados Cristiano Araújo e Robério Negreiros, referente a locação de carro na empresa Agile Locadora. O mesmo veículo, locado pelo mesmo período, de 1 a 28 de fevereiro de 2015, apresenta uma diferença de preço de 300 reais. O petebista pagou 4 mil e 800 reais, enquanto o peemedebista 4 mil e 500.

cristiano

Publicidade

roberio

Mas com o desenrolar das informações é que os distritais se enrolam. Segundo a denúncia de Mino Pedrosa levada ao ar pelas ondas da Rádio Ok FM, uma das agências não possui carros do modelo Ford Fusion, embora um dos motoristas dos parlamentares citados – que prefere manter o anonimato – garanta que o carro é alugado por lá mesmo.

Pior está a situação de Cristiano Araújo, que promoveu outra movimentação suspeita. Quando apresentou sua prestação de contas, constou uma locação de veículo da locadora Karper Rent Car. No documento informa a retirada do veículo no dia 14 de outubro de 2014 com 25.847 km. Na hora de devolver, o carro tinha a mesma quilometragem. Mesmo assim houve restituição de 2 mil 252 reais. Tudo pago pela Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Não é a primeira vez que os carros do Poder Legislativo brasiliense protagonizam escândalos. O próprio jornalista já havia feito a mesma denúncia no mês passado. Dessa vez ele se sustenta com documentos e cópias de notas fiscais.

Mas em agosto de 2012, a Casa havia reservado quase 400 mil reais para comprar cinco veículos Ford Fusion, que serviriam para atender aos componentes da Mesa Diretora. Depois da denúncia, três distritais rejeitaram usar os carros.

Robério Negreiros classifica como leviano e sem procedência as denúncias do jornalista Mino Pedrosa. E afirma: “Não há problema algum. Tudo está dentro da lei e do regimento interno”. Cristiano Araújo não respondeu à reportagem.

Durante seu programa, Mino tem dito uma frase que virou um slogan: “Pau no gato”, seguido por uma onomatopeia de miado do felino. Por conta disso, foi procurado por entidades de defesa dos animais, que reprovaram alusões a agressões ao bichano. Mas Mino esclareceu que o gato era outro. No fundo, seu slogan significa “um corretivo nos que cometem erros graves”. Ou, em outras palavras, quem comete ato de corrupção.

 

Fonte: Notibras

1

Comentário