GDF realiza nomeações, em massa, de comissionados, após afirmar que pode demitir servidores públicos. Concursados se revoltam. Doyle explica

38
Print Friendly, PDF & Email

A reação de servidores e concursados que aguardam nomeações na Saúde, Segurança e Educação ao pronunciamento do chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, afirmar em entrevista a TV Globo (15/Mai) e do governo ratificar a informação no dia seguinte, que o GDF pode vir a demitir servidores públicos, ganhou força após a publicação do Diário Oficial do DF (DODF) nº 94, na manhã desta segunda-feira (18/Mai), que traz quatro páginas dedicadas a nomeações de cargos comissionados para diversas áreas do GDF.

A queixa por parte, sobretudo dos servidores, é a falta de senso de o GDF anunciar a possibilidade de demitir servidores e realizar a contratação de comissionados. “Estou revoltada com esse governo, como na época de Agnelo. Pior que votei no Rollemberg. Decepção.”, conclui uma concursada que aguarda nomeação na pasta da Saúde.

No entanto ao se observar as publicações das nomeações para cargos em comissão no DODF, é possível se verificar se são apenas de realocações de servidores e não contratações de novas pessoas de modo a ampliar o quadro de pessoal do GDF.

Politica Distrital questionou ao chefe da Casa Civil, Helio Doyle, sobre as nomeações para saber se as realocações podem impactar sobre as vagas em vacância, que prevê, por exemplo, a nomeação de cerca de 600 novos servidores para a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF).

A Comissão dos aprovados da Policia Civil também faz um desabafo um uma matéria publicada: “Nesse aniversário de um ano de academia amargamos a longa espera em sermos nomeados. O refrão ‘em defesa da paz social, do direito, da ordem, da lei’ vai se mostrando desvalorizado pelos novos gestores da Capital Federal. Desnecessariamente está sendo criado um novo problema para o DF: a área da Segurança Pública. Cerca de 590 vidas se encontram engessadas. Vencemos, conquistamos, tudo dentro do processo idôneo e democrático do concurso público e agora amargamos à espera de um capricho político. Enquanto isso outras centenas de policiais, já alcançaram o tempo legalmente instituído para se aposentarem, já cumpriram seu nobre dever, mas adoecem em serviço esticando suas estadias na polícia por puro senso de responsabilidade, presteza, retidão.”

Publicidade

Doyle esclarece

De acordo com Doyle, as vagas em vacância não podem ser ocupadas. Em relação as nomeações para cargos em comissão o chefe da Casa Civil explica: “O TCDF autorizou substituições nas áreas de educação, saúde e segurança e, com justificativa, em outras áreas.”, afirmou Doyle.

Vagas em Vacância

Com isso voltam á parte dos concursados, que aguardam nomeação para preenchimento das vagas em vacância, a esperança da nomeação. Isso considerando que a limitação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e as declarações de Doyle sobre as possíveis demissões, deem a entender que novas nomeações em 2015, podem não acontecer.

6

Comentário